A Autoestima e o Emagrecimento – Dicas

A Autoestima e o Emagrecimento – Dicas

autoestima e o emagrecimentoExistem pessoas com todo o tipo de vício e isso afeta diretamente a autoestima. Muitas são viciadas em cigarro, drogas, álcool, dinheiro, trabalho e etc. Porém, independente do vicio, há um ponto em comum entre todas essas pessoas: baixa autoestima. Os vícios funcionam como uma válvula de escape, uma tentativa de fugir das inseguranças, medos, stress, frustrações e insatisfações. A comida também pode se tornar um vício.

Há muitas pessoas que aliviam as suas tensões comendo, de preferência doces e, por conta disso, não conseguem manter uma dieta saudável e engordam. S

Se você, por qualquer problema emocional, afetivo, de relacionamento, ou por baixa autoestima, alterou sua relação com a comida, e passou a comer mais do que deve, está utilizando inadequadamente o alimento para reduzir a ansiedade. Só que esta redução é momentânea, passageira. Você engorda e continua com os mesmos problemas.

(Leia também: Não consigo emagrecer, e agora?)

Não se pode generalizar a autoestima

Isso não significa que todas as pessoas que estão acima do peso possuem baixa autoestima.  Mas, é algo comum.  Por isso a autoestima é fundamental para se atingir qualquer objetivo, incluindo emagrecer. Veja sete importantes dicas para melhorar a sua autoestima:

1. Pergunte-se se a preocupação com o emagrecimento não está encobrindo outros problemas em sua vida, assumindo o papel de fuga.

2. Considere o emagrecimento um meio para ficar mais saudável, mais bonita e mais feliz, não um fim próprio.

3. É preciso mudar algo além do peso para manter-se magra. Se você nada fizer em relação à ansiedade, stress, à depressão, terá mantido as condições de voltar a engordar, se é que conseguirá emagrecer. Não tenha medo nem vergonha de procurar uma ajuda profissional. (Leia também: Não consigo emagrecer, e agora?)

4. Emagrecer não é apenas fazer mais uma dieta por algum tempo para perder algum peso. É, em muitos casos, toda uma revisão da sua vida.  Isso inclui mudança nos hábitos, e até uma análise apurada de seus medos, frustrações e anseios.

5. Comida e peso são sintomas e não problemas. Muita gente usa a comida como apoio e alívio. É preciso resolver primeiro essa questão, para que se possa emagrecer. Até porque mesmo que a pessoa consiga perder peso, ela vai continuar infeliz e, muito provavelmente, vai recuperar o peso perdido.

6. Quando comida, alimento e peso estão associados com baixa autoconfiança, problemas emocionais e problemas familiares passados, como raiva reprimida, sentimentos de rejeição e abandono, a solução não estará em dietas e medicamentos.

7. Não supervalorize o que a magreza pode fazer por você. Ser magra não quer dizer que você será mais feliz, mais bem-sucedida ou mais amada. Quem pensa assim pode estar a um passo de distúrbios alimentares como a anorexia e a bulimia.

3 Replies to “A Autoestima e o Emagrecimento – Dicas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *