Categoria: Emagrecer com Saúde

Em meio à pressa e uma série de dietas que prometem milagres, corremos o risco de esquecer do mais importante que é emagrecer com saúde! Se o nosso bem mais precioso é a saúde, negligenciá-la no momento de perder pode ser um grande risco que não deve ser corrido.

Peso ideal desvendado e explicado

Peso ideal desvendado e explicado

Embora a maioria das pessoas gostariam de uma solução simples para calcular o peso ideal, ou saudável, essa conclusão, infelizmente, não é tão fácil de se alcançar.

Seu peso ideal não pode simplesmente ser calculado a partir de uma fonte geral – peso saudável, ou o peso ideal, depende de vários fatores, incluindo a sua idade, sexo, tipo de corpo, a densidade do osso, relação músculo e gordura, saúde em geral, altura…

Ao longo das últimas décadas, o IMC (índice de massa corporal) foi visto como um excelente meio para o cálculo do peso saudável de uma pessoa. Entretanto, o IMC, como você verá mais adiante neste artigo, é na melhor das hipóteses, um cálculo aproximado com várias limitações. O IMC é mais útil quando se estuda grandes populações, a invés de indivíduos de forma isolada.

O que é o peso ideal

Peso ideal explicado

Seu peso ideal saudável pode ser diferente dos seus amigos e familiares, muitas vezes, mesmo se você for do mesmo sexo e tiver a mesma altura!

Comparar o próprio peso com o de outras pessoas não é o ideal. É preciso analisar caso a caso.

Nem mesmo especialistas em diferentes países parecem concordar com uma decisão igual de peso ideal. Um peso saudável no Reino Unido ou nos Estados Unidos é um pouco maior do que o que está definido, por exemplo, nos Países Baixos. Se você estivesse na Holanda, teria uma meta de peso menor do que se estivesse nos EUA.

O Índice de Massa Corporal (IMC), e a relação cintura-quadril, são duas maneiras que médicos e outros profissionais da saúde usam para avaliar o peso de uma pessoa. A relação cintura-quadril é provavelmente a mais precisa (razões mais adiante neste artigo).

IMC (Índice de Massa Corporal)

O resultado desta medição é um número derivado do peso e da altura de uma pessoa.

Como calcular o IMC?

Utilize uma balança (de preferência a de modelo elétrico, por ser mais precisa) para descobrir o seu peso em quilos, e meça a sua altura (ou peça para alguém medi-lo com uma fita métrica), para estabelecer a sua altura em metros. Agora divida o seu o peso pela sua altura ao quadrado, o resultado será o seu IMC. A fórmula é essa: peso = a, altura = b, resultado = x.

X= a ÷ b²

Se uma pessoa possui 60 kg e 1,67 m de altura, o cálculo será este:

IMC = 60 ÷ 1,67²
IMC = 60 ÷ 2,78
IMC = 21,5

  • Um estudo realizado por pesquisadores finlandeses desvendeu qual é o melhor dia que as pessoas que estão em processo de emagrecimento devem se pesar. Clique para saber mais.

Entendendo os resultados

Tanto para mulheres quanto para os homens, se o número de IMC for inferior a 18,5, a pessoa está abaixo do peso e corre riscos relacionados à depressão, artrite e problemas cardiovasculares, e também mais facilidades a quebrar ossos, sofrer acidentes, abortos e doenças pulmonares.

Aqueles que estiverem com a taxa entre 19 e 24,9 são classificados como tendo o peso ideal, já aqueles que estiverem entre 25 e 29,9 estão com sobrepeso. E as pessoas que se encontram em qualquer porcentagem acima de 30 é avaliado como obeso.

Agora que você sabe o seu IMC e a categoria em que se encontra, basta constatar qual é a atitude que deve tomar em relação ao resultado.

Caso você se enquadre em algum dos grupos abaixo do peso, com sobrepeso ou obesidade, procure um clínico geral que irá te encaminhar para um tratamento padrão ou um nutricionista, que indicará uma dieta alimentar agregado com um plano de exercícios para que você encontre o seu peso corporal ideal.

Controvérsias do IMC

As pessoas têm diferentes densidades ósseas e proporção de gordura corporal, e só o IMC não leva em conta estes fatores.

Para exemplificar, um paciente com osteoporose pode ter um IMC menor que um outro indivíduo. Sem estas condições, no entanto, é provável que se fossem usadas somente medições de IMC, o paciente com osteoporose fosse considerado como mais saudável.

Além disso, o IMC subestima o percentual de gordura corporal em pessoas obesas ou com excesso de peso, e superestima o percentual de gordura corporal em indivíduos musculosos ou magros.

Relação cintura-quadril RCQ

A relação cintura-quadril, também conhecida como RCQ, verifica a relação da circunferência da cintura de uma pessoa com a sua circunferência do quadril. A medida da cintura menor (localizada geralmente um pouco acima do umbigo), é dividida pela circunferência do quadril, na sua parte mais larga.

Os resultados da relação cintura quadril devem ser até 0,8 para mulheres e até 0,9 para homens. Resultados superiores podem indicar alto risco para doenças cardiovasculares. Quanto maior o valor, maior o risco.

Usando frutas como exemplos práticos, as pessoas em forma de “maçã”, ou seja, que tem um RCQ maior, tendem a um maior risco de desenvolver doenças, como problemas cardiovasculares, em comparação com indivíduos em forma de “pêra”. Uma pessoa em forma de maçã tem mais gordura acima da cintura, enquanto a gordura em uma pessoa em forma de pêra é mais concentrada em seus quadris.

Mulheres com RCQ abaixo de 0,8 tendem a ser mais saudáveis e mais férteis. Um RCQ de 0,8 aponta para um menor risco de desenvolver variados tipos de câncer, doenças cardiovasculares e diabetes.

Já os homens com RCQ de 0,9 ou menos têm os mesmos benefícios, enquanto que aqueles com maior RCQ tem riscos para a saúde semelhantes.

Controvérias do RCQ

Na relação cintura quadril não é medido o percentual de gordura corporal total do indivíduo. No entanto, a maioria concorda que é um preditor superior de riscos para a saúde e uma melhor medida do peso ideal.

Percentual de gordura corporal

Se medir o percentual de gordura total de uma pessoa, e dividir pelo peso, você terá a porcentagem de gordura corporal. Esta medição inclui a gordura de armazenamento, e a gordura essencial.

Gordura essencial é a gordura que precisamos para a sobrevivência. As mulheres têm uma proporção maior de seus corpos compostos de gordura essencial do que os homens – entre 2% e 5% em homens adultos e 10% e 13% em mulheres adultas.

O armazenamento de gordura é a acumulação de gordura no tecido adiposo. Um pouco de gordura de armazenamento também serve para proteger os órgãos internos localizados no abdômen e no peito. O tecido adiposo é um tipo de tecido que contém gordura armazenada.

Nosso porcentual de gordura corporal total inclui tanto a gordura de armazenamento quanto a gordura essencial.

Indicações de porcentagem de gordura

Veja a seguir quais são os percentuais de gordura indicados como “ideais” em homens e mulheres.

Gordura essencial

De  2 a 4% nos homens, e de 10 a 12% nas mulheres.

Gordura total

  • Atletas: 6 a 13% nos homens, e de 14 a 20% nas mulheres.
  • Magros: de 14 a 17% nos homens, e de 21 a 24% nas mulheres.
  • Com peso ideal e que não sejam atletas: de 18 a 25% nos homens, e de 25 a 31% nas mulheres.
  • Pessoas acima do peso: de 26 a 37% nos homens, e de 32 a 41% nas mulheres.
  • Obesos: 38% em pessoas do sexo masculino, e 42% em pessoas do sexo feminino.

Profissionais da saúde e cientistas esportivos dizem que medir o percentual de gordura corporal de uma pessoa é a maneira ideal de avaliar a sua capacidade física e a sua saúde em geral, porque é o único que inclui a composição corporal verdadeira de uma pessoa. Muito simplesmente, mede com precisão o sobrepeso ou obesidade possíveis em homens com mais de 25% (percentual de gordura corporal) e mulheres com mais de 31%.

Conclusão

Se você precisa encontrar o seu peso ideal, é importante não atentar-se apenas ao IMC, mas levar também em conta outros fatores.

Apnéia Do Sono Tem Relação Com O Excesso De Peso?

Apnéia Do Sono Tem Relação Com O Excesso De Peso?

Apnéia do sono nada mais é do que uma repetição de episódios de obstrução das chamadas vias áreas superiores. Essas obstruções ocorrem durante uma única noite de sono e costumam se repetir durante alguns dias seguidos.

Também chamada de hipopnéia obstrutiva do sono, ou a SAHOS, a apnéia do sono é uma enfermidade progressiva, incapacitante e também crônica que pode causar a morte instantânea de seu portador, além de poder causar uma série de seqüelas neurocognitivas e vasculares graves.

Apnéia do sono
A apnéia do sono causa cansaço, o ronco, sono excessivo durante todo o dia, entre outros desconfortos

Ela ocorre durante o conhecido sono 1, que é a fase na qual passamos cerca de 10% da noite e é quando nosso estado de vigília está em trânsito para nosso estado de sono. Isso acontece porque a luz está apagada e esse escurecimento faz com que a nossa sonolência comece a ser induzida com a liberação de um importante hormônio chamado de melatonina.

Entre os sintomas da enfermidade estão o cansaço, o ronco, o sono excessivo durante todo o dia e os episódios freqüentes de interrupção de respiração, que tendem a acordar o paciente e causar desconforto.

O Excesso De Peso E A Apnéia Do Sono

Alguns especialistas afirmam que qualquer fenômeno que provoque o fechamento ou estreitamento das nossas vias áreas dificulta a passagem de ar e faz com que as chances de se ter apnéia do sono seja maior, caso comum entre as pessoas que estão acima do peso.

Isso porque o aumento da gordura visceral vem sendo apontada como uma das associações com maior freqüência em pacientes com SAHOS. O aumento do índice de massa corporal pode também estar ligado ao aumento da circunferência do pescoço.

O problema é que o excesso de peso e de gordura faz com que as vias áreas superiores sofram oclusão e o paciente acabe desenvolvendo os principais sintomas da apnéia do sono.

Mas os dados ficam ainda mais preocupantes quando mostram que pessoa com excesso de peso (entre 70% e 90%) que possuem a apnéia do sono sofrem também com pressão alta e que até 35% apresentam a hipertensão essencial (que é a pressão alta que não tem causa definida).

Produção De Melatonina

Como citamos acima, é durante a fase 1 do sono que o nosso corpo começa a liberar a melatonina, um hormônio que até alguns anos atrás era associado apenas à indução do sono.

No entanto, hoje já sabemos que a melatonina está relacionada a todo o equilíbrio do nosso organismo. Com isso, os especialistas da UNIFESP já comprovaram também que a produção de melatonina ajuda o paciente a ter menos enxaqueca.

Outros estudos mostraram também que a pressão arterial tende a cair o equivalente a 15% quando estamos dormindo, o que não ocorre com quem sofre com a doença. Isso revela que as pessoas que sofrem com a hipertensão nos episódios noturnos tem mais chances de apresentar também problemas cardíacos.

A melatonina é também responsável por nos ajudar a manter o peso, já que é durante o sono que produzimos outros dois hormônios, a leptina (responsável pela saciedade), e a grelina (que aumenta a fome).

Tratamento Para Apnéia do Sono

Entre os tratamentos possíveis para a apnéia do sono está a redução do peso. Por isso, a restrição calórica é uma das medidas tomadas pelo paciente. Isso acontece porque a diminuição do peso faz também com que o percentual de gordura diminua, assim como a circunferência do pescoço.

Em alguns casos é preciso ainda utilizar uma máscara chamada de CPAC, que fica ligada a um compressor de ar e permite que exista uma pressão positiva que força o ar nas vias áreas e melhora a respiração na hora de dormir. O tratamento cirúrgico só é indicado para quem precisa retirar alguns obstáculos da passagem de ar, como distúrbios anatômicos.

Relação Da Gordura No Fígado Com O Excesso De Peso

Relação Da Gordura No Fígado Com O Excesso De Peso

A gordura no fígado é um dos muitos problemas causados pelo excesso de peso e da circunferência abdominal, e pode ocasionar males à sua saúde.

Também chamada de Esteatose hepática, a gordura no fígado atinge o interior das células de uma glândula importante para a circulação sanguínea, e que é responsável por mais de 500 funções no nosso organismo.

O fígado fica localizado ao lado direito de nosso abdômen, e o acúmulo de gordura nessa glândula é capaz de causar cirrose, hepatite e até mesmo câncer, quando não tratada da maneira correta.

Gordura no fígado

O problema é que muita gente acredita que as doenças do fígado, especificamente a esteatose hepática só pode ser causada pelo excesso do consumo de bebida alcoólica, mas não se dão conta de que a ingestão de gordura ruim e de açúcar pode fazer tão mal para a glândula, quanto o excesso de bebida.

A gordura no fígado e a obesidade

Alguns especialistas afirmam que a ocorrência da doença na população em geral alcança os 20%, mas triplica quando o perfil dos doentes é o de uma pessoa com sobrepeso ou obesa (ou seja 60%).

Isso acontece porque a gordura no fígado (ou fígado gorduroso) tem algumas de suas causas na resistência à insulina, diabetes e condições comumente encontradas em pessoas acima do peso, como nível aumentado de triglicérides e também de colesterol, além de estar diretamente relacionada ao uso de antiretrovirais, estrogênio, corticóides, diltiazem, entre outros.

Além disso, o sedentarismo, a má nutrição e até mesmo a perda rápida e repentina de peso podem fazer com que a gordura no fígado seja estabelecida, mas a causa mais evidente da doença está relacionada ao aumento da gordura na região abdominal. Isso porque o acúmulo de gordura na região faz com que as células adiposas se depositem também no fígado.

Sintomas de gordura no fígado

Um dos grandes problemas da esteatose hepática é que a doença no início é assintomática, o que dificulta e muito o seu tratamento. Por isso, sintomas como fraqueza, cansaço, dor, aumento do fígado, e perda de apetite só aparecem com as primeiras complicações da doença.

Quando a doença já está avançada, a pessoa apresenta fibrose e até mesmo inflamação na glândula, e que podem acarretar em complicações mais graves, como insuficiência hepática, acúmulo de líquido na cavidade abdominal, hemorragia, icterícia, aranhas vasculares, confusão mental e queda no número de plaquetas.

Prevenção E Tratamento Da Gordura No Fígado

O tratamento para as pessoas diagnosticadas com a doença tem como base três importantes mudanças no estilo de vida do paciente, que tem que se alimentar de forma mais equilibrada, levar um estilo de vida mais saudável, e inserir a prática de uma atividade física em sua rotina.

Nos casos mais graves o médico prescreve algumas medicações e a pessoa pode ser internada mais de uma vez para tratar as complicações da doença.

O que muita gente não sabe, é que é possível evitar esse problema e até mesmo reverter um quadro da doença com alguns cuidados bem simples:

  • Entre eles está o monitoramento da circunferência abdominal, que nos homens não deve ser superior a 102, e nas mulheres não deve ultrapassar 88 centímetros.
  • Além disso, é preciso manter o peso dentro dos padrões para sua idade e altura (para isso utilize o cálculo do IMC) e evitar dietas que sejam muito restritivas ou que comprometam a perda de peso rápida. Elas normalmente cobram um preço muito alto no futuro.
  • O consumo de carboidratos refinados e de gordura (principalmente as saturadas) deve ser baixo, já que essas duas substâncias ajudam no acúmulo de gordura no fígado.
  • Tenha também no cardápio boas quantidade de peixes, azeite de oliva e frutas, como maçã, laranja, limão, banana, abacaxi, entre outros, que são importantes para prevenção e até mesmo retrocesso da doença.
Síndrome Metabólica: Prevenção, Diagnóstico E Tratamento

Síndrome Metabólica: Prevenção, Diagnóstico E Tratamento

A Síndrome Metabólica é um processo que tem a resistência à insulina como base. Ela acontece devido aos quilos extras que a pessoa adquire com o tempo, e pode levar a uma série de complicações de saúde.

Podemos dizer então que esta síndrome é um conjunto de fatores de risco que aumentam de forma significativa as chances de desenvolver problemas cardiovasculares, além das chances da pessoa ter um AVC, infarto ou até mesmo morte súbita.

Síndrome metabólica
O acúmulo de gordura abdominal é um dos fatores que contribuem para o surgimento da síndrome metabólica

A primeira vez que a doença foi diagnosticada foi nos anos 80, quando um pesquisador notou que algumas doenças como a pressão alta e até mesmo os altos níveis de glicose se relacionavam com a obesidade, e que elas estavam interligadas pela resistência à insulina.

O que é Síndrome Metabólica?

Conhecida como uma doença moderna, a Síndrome Metabólica é também conhecida como plurimetabólica e já foi chamada de síndrome X. A doença tem como principal característica a maior produção de insulina por parte do pâncreas, e normalmente vem associada a obesidade e à outras doenças que aparecem com mais facilidade em pessoas acima do peso.

De acordo com a Federação Internacional de Diabetes, mais de um quarto da população mundial já apresenta a doença, e os homens com mais de 40 anos são os mais atingidos pela Síndrome Metabólica.

No Brasil, o Hospital Albert Einstein realizou um levantamento que revelou que dos 3.302 pacientes do sexo masculino que realizam na instituição um checkup, entre os anos de 2001 e 2003, mil deles apresentavam a doença.

Além disso, o levantamento mostrou que mais de 30% dos homens avaliados (os que possuíam a síndrome) apresentavam as características apontadas já nos anos 80, que são a falta de uma atividade física, hábitos alimentares irregulares e pouco saudáveis, e acúmulo de gordura abdominal.

O maior problema da Síndrome Metabólica é que ela é assintomática, ou seja, a pessoa não sente nada que a indique que ela possa estar com algum problema de saúde e precisa consultar-se com um médico. Quando os primeiros sinais começam a aparecer, geralmente o estágio já está avançado, e a doença se torna ainda mais perigosa.

Como diagnosticar a Síndrome Metabólica?

Para que o médico consiga fechar o diagnóstico da plurimetabólica, é preciso que o paciente apresente a maioria dos fatores de riscos, e que os dados sejam verificados por um laboratório através de exames de sangue.

Usualmente é preciso que pelo menos três fatores de riscos sejam apresentados pelo paciente, como por exemplo: hipertensão, índices elevados de LDL e níveis de ácido úrico também fora do normal.

Entre os exames pedidos para a avaliação estão também a glicemia em jejum, que se estiverem entre 100 e 125 ou entre 140 e 200 depois da dose de glicose, apresentam indícios da doença.

Os níveis de triglicérides elevados, a obesidade central, a medida da circunferência da barriga (para homens de no máximo 102 e para mulheres no máximo 88) e também marcadores sanguíneos como a C-reativa também podem estar associados ao diagnóstico.

Os pacientes normalmente descobrem a doença depois de se consultarem com um cardiologista ou endocrinologista, que costumam acompanhá-los após a realização dos exames.

Leia também: Falta de vitamina D3 aumenta as chances de desenvolver a síndrome metabólica.

Como tratar síndrome metabólica
A atividade física é muito importante no tratamento da síndrome metabólica

Tratamento Da Síndrome Metabólica

Para tratar a doença é preciso que a pessoa mude sua rotina alimentar, e também insira atividades físicas regulares em seu dia-a-dia. Essas medidas ajudam a reduzir os fatores de risco.

No entanto, em alguns casos é preciso que alguns medicamentos sejam prescritos para tratar um dos fatores, como o alto colesterol, o aumento da glicose, ou para controlar a pressão arterial. Pessoas com a síndrome metabólica também devem evitar alimentos que contenham glúten, especialmente o trigo.

Por isso, o ideal é que você faça um checkup regularmente, evitando assim que a doença se estabeleça.

Como Emagrecer De 10 Formas Diferentes

Como Emagrecer De 10 Formas Diferentes

Se você buscar por como emagrecer seja em sites ou revistas, verá que há uma gama bastante variada, que não faltam opções, e que portanto também não há desculpas para não correr atrás.

Buscando pelo mesmo tema, e estudando bem, você percebe que a alimentação está sempre associada aos exercícios. Caso contrário, se você optar por mudar apenas a alimentação, a dieta provavelmente será mais restrita. E essa não é a maneira mais saudável de perder peso.

No site Meta Emagrecer, você aprende todas as maneiras de como emagrecer, mas sempre com os alertas necessários, e sempre visando o respeito a você e à sua saúde.

Como emagrecer com saúde

Há a Página Do Facebook que você pode curtir para ficar sempre ligado em qualquer novidade que apareça no site, e seja o primeiro a saber. Você também pode acessar o site sempre porque diariamente você conta com novos posts.

Se você quer saber como emagrecer, leia este artigo, porque com certeza você vai encontrar ajuda aqui.

Como Emagrecer Com Saúde

Quando o assunto é emagrecer com saúde, é impossível não relacionar os exercícios com a alimentação balanceada.

Emagrecer apenas reduzindo a quantidade de alimentos ou fazendo dietas, com certeza não será tão saudável quanto se as reduções na alimentação forem menores, e as alterações feitas aos poucos, porém com a associação dos exercícios físicos.

Por outro lado, apenas exercitar-se, e continuar exagerando na comida, não será tão eficaz.

Então a combinação perfeita para emagrecer com saúde é uma reeducação alimentar, aliada à atividade física.

Dicas De Alimentação

Comece aos poucos…

  • Se você não consegue deixar o doce de lado, experimente trocar sobremesas calóricas por versões light, ou por frutas (que também contém açúcar, e o gosto mais docinho);
  • Coma de 3 em 3 horas. Este intervalo entre as refeições acelera o metabolismo e evita que os alimentos acumulem gordura;
  • Substitua as bolachas, pães e biscoitos pelas opções integrais;
as
Prefira os integrais
  • Coma devagar e mastigue bem. Dessa forma você consegue sentir mais o sabor da comida, e ficar satisfeito por mais tempo. O estômago enche aos poucos, trabalhando assim melhor a digestão;
  • Prefira o leite desnatado;
  • A salada antes do prato principal pode fazer uma grande diferença. Ela vai ajudar a preencher o estômago, e você acabará comendo menos;
  • Prefira as carnes magras, ou substitua por peixe e frango (sem pele).

Os Exercícios

  • Para quem busca como emagrecer um pouco mais rápido, uma ótima modalidade de exercícios é o treinamento intervalado de alta intensidade;
  • Uma caminhada ou pedalada de 20 minutos diários também podem ajudar com que, aos poucos, ocorra a perda de peso;
  • Procure andar mais: caso precise ir a algum lugar próximo, prefira ir caminhando, ou estacione o carro mais longe do que o destino final, e caminhe o restante do trajeto.

Programas De Emagrecimento

Saber como emagrecer tem se tornado algo cada vez mais acessível.

O que antes custaria não menos do que consultas ao nutricionista, sessões com um personal trainer, hoje pode ser encontrado em um único programa online.

Sim, atualmente você pode emagrecer com um programa de emagrecimento online.

Todos estes programas são formulados por especialistas. A única diferença é que você pode realizar os treinos nos dias que puder, no horário que desejar desejar. Eles realmente facilitam a vida de quem precisa emagrecer, e principalmente daqueles que não tem tempo.

A diferença no bolso também é enorme. Não há nem comparação. Programas online são mais baratos do que programas ou consultas presenciais, ou planos de academias.

Você encontra estes programas aqui no site, clicando no botão abaixo para escolher o seu.opções, para todas os gostos e necessidades:

Programas para emagrecer

Como Perder Barriga

Você já deve ter ouvido falar sobre a influência que os níveis de insulina e cortisol podem exercer no volume ao redor da cintura e no abdômen, não é mesmo?

Para que você entenda um pouquinho melhor, simplifiquei as informações abaixo:

  • Insulina: a influência que os níveis de insulina exercem em seu corpo, são provenientes da quantidade de amido e alimentos doces que você ingere.
  • Cortisol: a maior influência sobre o cortisol tem a ver com os níveis de stress, que estão diretamente relacionados a qualidade e quantidade do sono.

A Fórmula Para Perder Barriga:

Levando-se em consideração as informações anteriores, você tem a fórmula certa para perder barriga:

  • (Proteínas + Vegetais) x (Sono + Exercício intenso) = Barriga de tanquinho

Aposte nas proteínas e nos vegetais, e durma bem, e a quantidade necessária!

Como perder barriga
Comer bastante proteínas e vegetais, dormir bem, são a fórmula para ter uma barriga tanquinho

No Post Como Perder Barriga, você tem um Guia Completo que oferece muito mais dicas a respeito do assunto.

Como Emagrecer Em Casa

Com a correria do dia a dia, milhares de pessoas tem procurado uma forma de como emagrecer em casa.

Nem todo mundo tem tempo para frequentar a academia, ou acompanhar horários de aulas aeróbicas.

Por isso é que você tem a opção de emagrecer em casa com programas de emagrecimento online como os já citados, planos testados e comprovados de emagrecimento, que utilizam como base exercícios de treinamento intervalado de alta intensidade, uma nova forma de se exercitar, que promove um emagrecimento mais rápido e eficaz do que os exercícios aeróbios de longa duração.

Programas De Emagrecimento

Além do mais, são apenas alguns minutos de exercícios por dia, e resultados em poucas semanas.

Você aprende treinos de poucos minutos, do iniciante ao avançado, para se exercitar em casa, sem ter que ir para a academia.

Mas não para por aí. Estes programas também ajudam a formular pequenas alterações na sua alimentação, para garantir ótimos resultados.

As dietas são opções bastante procuradas quando se trata de perder peso. Mas é importante não exagerar, e nem apostar em dietas muito restritivas, se não houver acompanhamento médico. Elas podem ocasionar problemas de saúde, e desconfortos como dores de cabeça, tontura e fraqueza.

A visita a um nutricionista não deve ser neglicenciada. Escolher uma dieta qualquer, principalmente se for restrita, pode ser um pouco arriscado. O médico indicará a melhor dieta para você, de acordo com o seu perfil, levando em consideração seu estilo de vida, histórico médico, peso, altura e talvez até mesmo alguns exames que você tenha que fazer.

Como Emagrecer Em Uma Semana

Quem nunca precisou emagrecer rápido para uma ocasião especial? Algumas dicas simples e práticas podem te ajudar a perder peso em pouco tempo, mas sem esquecer que quando o assunto é emagrecimento, não há milagres, ok? É preciso determinação.

Durma Bem

Procure dormir 30 minutos a mais por noite, caso você ainda não tenha o costume de tirar 8 horas de sono.

Como você já viu no tópico sobre como perder barriga, a qualidade e quantidade de sono tem grande influência na perda de peso.

Corte Os Grãos Brancos

Grãos brancos como o arroz branco, macarrão, pão de forma, influenciam e muito no ganho de peso.

Os carboidratos simples causam inchaço, principalmente em torno da barriga, e são digeridos muito rapidamente pelo intestino, deixando você com fome e mais propenso a comer mais.

Prefira então os grãos integrais, que além de mais nutritivos, ajudam na perda de peso.

Beba Muita Água

A água, além de uma bebida sem calorias, e com pouco ou nenhum sódio, é a bebida perfeita para perder peso.

Além disso, a água hidrata e tonifica o corpo e a pele, e ajuda a acelerar o metabolismo.

Pratique Exercícios

Como emagrecer com exercícios
Os exercícios são essenciais para uma perda de peso saudável

Você pode escolher alguma atividade como a caminhada, bicicleta, natação, corrida e pular corda, e 30 minutos todos os dias será o bastante para suar e perder gordura.

A cada dois dias, faça 3 séries de 12 flexões e agachamentos cada. Além de fortalecer braços, coxas e bumbum, estes exercícios te ajudarão a tonificar os músculos.

Corte As Besteiras

Corte aquelas “besteirinhas engordativas” que você costuma comer no dia a dia.

Seja aquele salgadinho a tarde, aquele chocolatinho, ou as balas… Dessa forma, você subtrai algumas centenas de calorias da sua alimentação.

Shakes Para Emagrecer

Os shakes são delícias a serem alinhadas à dieta de perda de peso.

Eles podem ser usados nos lanches, ou para substituir refeições. Irão saciar a fome, e o desejo por doces. Além disso, são repletos de nutrientes e vitaminas.

O ideal é combiná-los também à prática de atividade física.

Bater os shakes com leite desnatado após os treinos, no café da manhã ou almoço, fornece ao seu corpo mais proteínas, que promovem o fortalecimento muscular.

Também oferecem nutrientes necessários para um metabolismo saudável.

Algumas receitas ainda levam chocolate ou cacau em pó, perfeito para controlar o desejo pela guloseima e consumi-la de forma que não prejudique a saúde de seu corpo. Na Categoria Shake Para Emagrecer, você aprende uma série destas receitas.

Como Emagrecer Comendo De Tudo

São milhares de pessoas por como emagrecer, e poder fazer comendo de tudo é o sonho de ao menos metade delas.

Por outro lado, quando precisamos emagrecer, é bastante comum pensar em diminuir as calorias. Mas nunca pensamos que isso pode desacelerar o metabolismo, e ao interromper a dieta, recuperaremos o peso, ou engordaremos ainda mais, o que pode levar ao efeito sanfona.

Além do que deixar de comer o que mais gostamos é algo frustrante, e é aí que muita gente acaba desistindo de emagrecer.

Agora a dica:

A caminhada
A caminhada, além de uma atividade muito saudável, também é uma grande aliada da perda de peso.

Após comer bem num café da manhã bastante reforçado, faça uma lenta caminhada. Assim, o corpo vai ficar mais acelerado e mais gastador durante o dia inteiro! Coma pouco na janta.

Faça isso por pelo menos uma semana, e já conseguirá notar alguma mudança.

Alimentar-se e caminhar em seguida, é o evento metabólico mais antigo gravado na memória celular do corpo humano. E isso está marcado profundamente em nossos gênes. Então, todos os dias após comer, faça uma lenta caminhada. De início, 20 minutos por dia bastam. Se puder e preferir caminhar por mais tempo, será ainda melhor.

Vitaminas Para Emagrecer

Conheça algumas vitaminas que auxiliam na perda de peso, e como elas o fazem.

Vitamina C

Esta vitamina já bastante conhecida, ajuda o corpo a converter glicose em energia, impedindo que esse monossacarídeo seja armazenado no corpo.

Algumas Fontes da vitamina: limão, acerola, melão, laranjas, morangos, ervilha, tomate, caju, goiaba, manga e mamão.

Iodo

Tem papel importante na produção dos hormônios da glândula tireóide. Estimulando-a, ele promove um metabolismo mais rápido e saudável.

As principais fontes são de origem marinha, como as ostras, as algas marinhas, os moluscos, mariscos e os peixes de água salgada.

Colina

É um nutriente essencial, e faz parte do complexo B de vitaminas.

A colina metaboliza a gordura.

A ingestão diária recomendada em homens é de 550 mg, e nas mulheres é de 425 mg (para as grávidas, 450 mg).

As fontes principais de colina são alimentos como o ovo, fígado de galinha, vitela e de vaca, a mostarda, cereais integrais, entre outros.

Inositol

Esta vitamina trabalha com a Colina para metabolizar a gordura.

Algumas fontes: ovos, soja e castanhas.

Cromo

Esta vitamina ajuda a potencializar a função da insulina, que é responsável pela distribuição do açúcar no corpo sempre que comemos. Também ajuda a diminuir o colesterol, e a evitar doenças do coração.

Coenzima Q10

Esta coenzima é necessária para um funcionamento correto das enzimas nas mitocôndrias, o que afeta diretamente a habilidade da mitocôndria de produzir ATP (uma alta quantidade leva a um maior metabolismo na medida em que o seu corpo transforma mais comida em energia do que em gordura).

B2, B3, B5 e B6

Quantidades satisfatórias destas vitaminas, que ajudarão a manter o seu metabolismo ativo, e ajudam a manter a tireóide saudável.

Algumas fontes: ovos, aveia, farelo de trigo.

Suplementos para Emagrecer

Os melhores suplementos quando o objetivo é perder peso, são os multivitamínicos e os multiminerais.

Opte também por aqueles que contenham Ômega 3 e 6.

Agora É Com Você…

O site com certeza irá te ajudar a encontrar a melhor maneira de como emagrecer, de acordo com as suas necessidades.

Agora é a sua vez. Acompanhe nossas dicas diárias, e se possível escolha também um programa de emagrecimento, que irá te ajudar a emagrecer com métodos testados e formulados por profissionais, e que facilitarão de forma astronômica a sua busca.

Programas para emagrecer

A Pressão Alta E A Sua Relação Com O Sobrepeso

A Pressão Alta E A Sua Relação Com O Sobrepeso

A pressão alta é uma doença já muito conhecida entre os brasileiros, isso porque dados do Ministério da Saúde revelaram que mais de 300 mil pessoas morrem por conta da enfermidade no pais, mas o problema é ainda maior do que imaginamos.

Especialistas afirmam que a hipertensão (como também é chamada a pressão alta) é a responsável por nada menos do que 80% dos casos de derrame cerebral que ocorrem no Brasil, assim como por 60% dos casos de quem sofre um ataque cardíaco.

O mais perigoso é que a pressão alta pode atingir tanto crianças quanto idosos e suas causas são plurais. Por isso, é preciso ter atenção redobrada ao excesso de peso, sedentarismo, fatores genéticos, entre outros.

O que é a pressão alta?

Relação da pressão alta com a obesidade

A pressão arterial é a força que o nosso sangue realiza nas paredes de nossas artérias para que assim ele consiga circular por todo o nosso corpo. O problema é que quando essas artérias se estreitam o coração tem que bombear com mais força o sangue para que assim ele possa circular por todo o nosso corpo e voltar para o músculo.

O problema é que esse trabalho “a mais” que o coração e o sangue fazem para completar a circulação (por conta do aumento da pressão) faz com que as artérias sejam danificadas e o coração sofra uma dilatação.

Sintomas E Causas Da Pressão Alta

A pressão alta tem diferentes causas. Entre elas está o histórico familiar, isso porque parentes como pais e avós com o problema fazem com que a sua chance de desenvolver a doença aumente de forma exponencial.

O gênero também tem papel importante nesse quesito, mas também estão associados a idade. Isso porque os homens adultos de até 45 anos têm mais chances de ter pressão alta. Até os 64 anos as chances são iguais tanto para homens quanto para mulheres, mas depois dos 65 anos as chances das mulheres desenvolverem hipertensão aumentam.

A obesidade e o sobrepeso também são fatores de risco que podem causar pressão alta, já que o coração de uma pessoa obesa tente a trabalhar mais do que o normal. O sedentarismo e a alimentação desequilibrada (principalmente com muito sal) também estão na lista e fazem com que os riscos sejam maiores.

O grande problema da hipertensão é que ela só apresenta sintomas quando já está em um estágio bem avançado. Normalmente a pessoa sente fortes dores de cabeça, tonturas e dores no peito, assim como enjôos.

Tratamento Da Pressão Alta

Normalmente as pessoas que estão acima do peso precisam apenas perder alguns quilos para que o problema se resolva. O ideal é que a pessoa elimine 10% de seu peso. Além disso, é preciso ter uma atividade física regular e não exagerar nas bebidas que contenham álcool, e nem no sal na hora de temperar a comida (assim como evitar produtos industrializados que contenham muito sódio em sua composição).

Em casos mais graves o médico prescreve remédios chamados de vasodilatadores, que são diuréticos e que ajudam na redução dos problemas causados nos vasos sanguíneos. Esses medicamentos só são usados se a pessoa tem seus valores mínimos de pressão arterial entre 11 ou 12. O problema é que na maioria desses casos a pessoa fica em tratamento pelo resto da vida.

Por isso, o ideal é que você sempre mantenha seu checkup em dia e fique de olho nos sinais de seu corpo. Mantenha também uma dieta equilibrada e pratique atividade física com mais regularidade, assim você evita que o problema apareça e ainda consegue diminuir as chances de ter um derrame, acidente vascular cerebral ou um ataque cardíaco.

Doenças Do Coração Mais Comuns Em Pessoas Obesas

Doenças Do Coração Mais Comuns Em Pessoas Obesas

As doenças do coração são diversas vezes associadas ao sobrepeso e à obesidade. Esta ligação não esta errada, já que as chances de alguém acima do peso sofrer com essas doenças é maior.

De acordo com alguns especialistas o que ocorre é que na maior parte dos casos, as pessoas que sofrem com o excesso de peso tem doenças relacionadas às doenças cardíacas, como por exemplo o colesterol alto, a elevação de triglicérides, problemas circulatórios, entre outros.

Doenças do coração

A verdade é que as pessoas que estão acima do peso tem mais chances de desenvolverem a pressão alta, terem mais gordura no sangue, níveis elevados de glicemia, e índices menores do chamado colesterol bom (o HDL). E esses são fatores importantes para o aumento das chances de sofrer com doenças do coração.

Além disso, as pessoas que estão com sobrepeso ou obesidade estão também mais propensas a terem inflamações no corpo, já que o nível de substâncias nocivas que ingerem (como o açúcar, sódio, sal, entre outros) é maior do que o de uma pessoa que tem uma alimentação mais equilibrada.

Doenças do Coração Mais Comuns

Apresentamos a seguir as doenças cardíacas mais comuns entre pessoas com sobrepeso, lembrando que a obesidade também pode ser associada a outros problemas de saúde.

Os pacientes obesos costumam fazer seu coração trabalhar de forma sobrecarregada. Isso porque nosso corpo é preparado para receber uma quantidade “ideal” de peso, e quando ultrapassamos esse valor, estamos fazendo com que o músculo trabalhe mais do que ele deveria.

Entre as doenças do coração mais comuns em pessoas que estão acima do peso estão a Angina, infarto e hipertrofia ventricular.

Agina

Entre as doenças do coração mais freqüentes a Angina é a mais comum. Ela nada mais é do que o estreitamento das artérias que são encarregadas de levar sangue até o nosso coração. Com o estreitamento dessas artérias o suprimento necessário de oxigênio, do qual o coração necessita, não chega até o músculo, o que provoca dor forte e grande desconforto na região.

O comum é que essa dor aumente durante a prática de um esforço físico ou de atividade física. Ela pode irradiar para a mandíbula, braços ou ombros, e também pode ser mais intensa quando a pessoa sofre algum tipo de estresse emocional.

Para tratar da doença, é preciso uma medição para o coração, e em casos mais graves até mesmo algum procedimento mais invasivo, como a angioplastia ou a implantação de pontes coronárias.

infarto do coraçãoInfarto

O infarto é a necrose que ocorre em uma parte do coração. Essa necrose tem como causa a falta de irrigação de sangue, que não consegue chegar como deveria até o músculo.

Isso acontece por conta de uma oclusão das artérias, normalmente por conta de um processo inflamatório que permite que placas de gordura se acumulem nas paredes dessas artérias. Mas o mais comum é que o infarto aconteça por conta da decorrência de vários danos causados as nossas artérias ao longo dos anos, sendo o consumo de uma alimentação desequilibrada um desses pontos.

Entre os sintomas estão a dor fixa na região do peito, assim como a impressão de aperto na área. A ardência no peito é também um sinal de alerta em muitas pessoas (principalmente) que confundem o sintoma com azia.

Quem infarta também sente náuseas e pode até ter tontura, desmaios e episódios de vômito, assim como a sensação de morte, agitação e ansiedade ao extremo.

O infarto pode levar à morte, e o socorro deve ser feito de forma rápida, já que algumas pessoas tem boa parte do músculo necrosado e acabam não sobevivendo.

Hipertrofia ventricular

Essa é uma das doenças do coração mais comuns em pessoas que estão acima do peso. A hipertrofia ventricular, que também é conhecida como hipertrofia ventricular esquerda, por acontecer na parede do ventrículo esquerdo do coração, tem como principal característica o aumento da parede da principal câmara coronária.

Entre as causas mais comuns da doença, estão a hipertensão arterial, que faz com que exista uma sobrecarga na região e acabe causando essa hipertrofia.

Alimentos Que Contém Glúten E Você Nem Sabia

Alimentos Que Contém Glúten E Você Nem Sabia

Muitas pessoas decidem tirar do cardápio alimentos que contém glúten e que possam causar certos problemas ao organismo. No entanto, nem todo mundo sabe quais alimentos contém glúten em sua composição.

Os alimentos com glúten são, normalmente, aqueles que possuem em sua composição malte, trigo, centeio, entre outros cereais.

Mas mesmo com toda a moda glúten free que vem ganhando cada vez mais adeptos, o glúten nem sempre é aquele vilão que todo mundo imagina.

Por isso, listamos alguns dos alimentos que contém glúten, para que assim você saiba o que está consumindo e consiga responder se ele é ou não importante para a sua dieta.

Curiosos Alimentos Que Contém

Entre os alimentos que contém glúten e muita gente não sabe está, por exemplo, a salsicha. Esse embutido é fabricado com os restos moídos de algumas peças de carne, e recebe a adição de algumas farinhas ou derivados de trigo na hora de dar a consistência necessária ao produto. Por isso, o importante é ler sempre a embalagem e ver se ela leva a informação “Contém Glúten”.

Alimentos que contém glúten
O sorvete é um dos curiosos alimentos que contém glúten.

O molho de soja é também um dos alimentos que contém glúten e que nem nos damos conta. Isso acontece porque o molho é produzido com uma porcentagem de quase 50% de trigo, uma das principais fontes de glúten existentes na natureza.

Os frios também estão na lista dos alimentos que contém glúten e basicamente pelo mesmo processo da salsicha. Presunto e mortadela são alimentos também processados que possuem glúten em sua composição, e que por isso não podem ser consumidos por celíacos ou pessoas que estão em uma dieta de glúten free.

Sorvetes também estão nessa lista, isso porque a maior parte deles possui em sua composição o amido, que ajuda a dar mais sabor para o doce. Além disso, os que possuem pedaços de biscoitos ou calda de chocolate também tem o glúten adicionados nesses alimentos.

O caldo de carne, um tempero muito utilizado pelos brasileiros, também contém glúten e nem todo mundo sabe. A substância é adicionada para dar consistência ao alimento, já que os grânulos em pó são os responsáveis pela adição do macronutriente.

Alimentos processados e o glúten

Uma boa parte dos alimentos processados tem o glúten adicionado em sua fórmula. Isso porque ele é um importante estabilizador e espessante utilizado na indústria alimentícia para conservar e também dar mais sabor aos alimentos.

Por isso, o importante é sempre ler o rótulo dos produtos e ficar atento na hora de comprar pudim, cremes, molhos de saladas prontos, polpas de frutas, misturas para bebidas, doces, chicletes, alimentos enlatados, achocolatados, caldas, refrigerantes, batatas chips, entre outros.

Além disso, você pode encontrar sessões nos supermercados de glúten free, e também encontrar lojas especializadas nesses alimentos e que conseguem oferecer uma ampla variedade de opções sem glúten de alimentos que geralmente contém a substância, em suas formas naturais, como pães, cervejas, entre outros.

Alimentos Que Contém Glúten Fazem Mal?

De acordo com alguns especialistas, os alimentos que contém glúten podem fazer mal ao organismo por conta do modo como o nutriente é absorvido pelo organismo. Isso acontece porque o glúten se transforma em uma cola que, ao se prender as paredes intestinais nem sempre é digerida por completo.

Isso faz com que um processo de inflamação comece a acontecer no intestino, provocando dores abdominais, inchaço, gases e as vezes irritabilidade intestinal. O problema é que muita gente acredita que os principais vilões só estão nos pães, bolos e massas, mas não se dão conta de que o glúten pode estar presente em mais alimentos do que imaginamos.

Se você quiser saber qual a opinião de especialistas sobre o glúten e a perda de peso, leia o post Posso Comer Glúten E Emagrecer?

Perigos Do Colesterol Alto E Como Prevenir

Perigos Do Colesterol Alto E Como Prevenir

O colesterol alto é um dos maiores problemas encontrados em quem não segue uma dieta equilibrada. O problema aparece normalmente por conta do excesso de gordura na alimentação, e pode trazer uma série de riscos para a saúde.

O colesterol nada mais é do que uma molécula presente e importante para o corpo humano. Ela é a responsável pela fabricação de alguns hormônios sexuais e também da vitamina D, dos ácidos biliares e da composição da membrana celular, que tem como principais funções definir e recobrir as células do nosso corpo.

Colesterol alto

A maior parte do colesterol é produzida pelo nosso organismo, sendo apenas 1/3 proveniente da nossa dieta. No entanto, a gordura ruim ou o LDL, é aquela que ocasiona o acúmulo de gordura, fazendo assim com que a preocupação com a saúde aumente e o colesterol alto se torne um problema.

Ele é considerado perigoso quando ultrapassa o valor de 240 mg/dl, ou se o colesterol bom (chamado de HDL) está com um nível menor que 40 mg/dl.

Problemas De Saúde Causados Pelo Colesterol Alto

Com os níveis do colesterol altos, a pessoa começa a ter essa molécula se depositando na parede dos vasos, e sofrendo um processo de oxidação. Esse processo acaba modificando a camada interna das artérias, chamada de endotélio.

Com isso, outras substâncias como a fibrina e o cálcio encontram maior facilidade para se depositar nas paredes das artérias, criando algumas placas de gordura, que com o tempo podem diminuir a circulação sanguínea e até entupir a artéria.

O problema é que com esse “entupimento”, a pressão presente dentro da região passa a ser muito maior, o que acaba provocando uma inflamação e em alguns casos mais graves, o rompimento dessa artéria ou vaso.

Colesterol

O hipercolesterolemia, que nada mais é do que o nível de LDL aumentado, faz com que essas placas acumulem gordura, endureçam e causem a obstrução dos vasos, chamada na medicina de aterosclerose. Essa condição pode levar a pessoa à condições de saúde preocupantes, já que o fluxo sanguíneo pode ser interrompido.

Entre as doenças associada a esse problema estão o Acidente Vascular Cerebral (AVC), o acúmulo de gordura no fígado, a obesidade e também o infarto do coração.

O colesterol alto está associado não só a dieta rica em gordura, mas também a fatores genéticos, sedentarismo e também ao tabagismo.

Alimentos ideais para combater o colesterol alto

A prática de uma atividade física diária e também a busca por uma alimentação mais equilibrada pode acabar com o problema. Já em casos mais graves, a pessoa precisa tomar algumas medicações que ajudaram a melhorar sua condição de saúde.

  • Entre os alimentos mais importantes e que ajudam a reduzir os níveis de colesterol no sangue, estão os peixes, ricos em ômega 3, uma gordura boa que reduz os níveis não só do colesterol, mas também de triglicerídeos, e ainda diminui as chances da formação de coágulos no sangue.
  • A aveia também é um superalimento que pode ajudar nesse combate. Rica em fibras solúveis, ela inibe o acúmulo de gordura, melhora a circulação e ainda controla a glicemia.
  • Já as oleaginosas como castanhas e nozes possuem a arginina, substância vasodilatadora que ajuda a diminuir os riscos de doenças cardíacas. Por sua vez, o chocolate meio amargo é rico em flavonóides, substâncias que atuam na redução dos níveis de LDL e por isso, quando consumido em doses baixas faz bem à saúde.
  • A laranja também é rica nessa substância, e já foi tema de um estudo realizado pela Universidade de Viçosa, publicado na American Heart Association, mostrando a atuação dos flavonóides na redução do colesterol.
  • A canela também é outro alimento importante para o combate do aumento do colesterol, isso porque um estudo realizado no Kansas State University revelou que consumir meia colher de sopa da especiaria todos os dias ajuda a combater o LDL. Além disso, ela é termogênica, auxilia no emagrecimento, e ajuda no sistema circulatório.
Os riscos da Obesidade Mórbida

Os riscos da Obesidade Mórbida

A obesidade mórbida é uma doença que preocupa cada vez mais os médicos de todo o mundo. No Brasil, o quadro também é assustador e nos revela que o número de pessoas com essa obesidade no país não para de crescer.

Uma pesquisa patrocinada pelo Covidien e realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica mostrou que o número de indivíduos com obesidade mórbida está muito próximo de dobrar, se comparado com o ano de 2007. Ao todo, o país conta com 6 milhões e 800 mil obesos mórbidos, contra 3 milhões e 500 mil registrados em 2007.

Se compararmos os dados com o número de obesos no país, que é de 25 milhões, as pessoas que sofrem de obesidade mórbida representam mais de 18% da população que está acima do peso. Os números assustam porque o excesso de peso é um dos fatores de risco que podem levar a problemas cardíacos, vasculares, circulatórios, ortopédicos e até mesmo a morte. Isso sem contar os problemas sociais enfrentados pelos obesos, assim como a depressão.

Obesidade mórbida
A obesidade mórbida apresenta IMC maior que 40.

Entenda a obesidade mórbida

É preciso saber que a obesidade mórbida é um problema grave de saúde, e deve ser tratada com a seriedade que merece. O paciente é considerado obeso mórbido se seu IMC (Índice de Massa Corpórea) for maior que 40. Para quem não sabe o IMC é encontrado pela divisão do peso, pelo dobro da altura. Se esse valor for menor que 25 e maior do que 19, é sinal que você está no seu peso ideal.

O problema é tão grave que a maioria do corpo médico classifica a obesidade mórbida como um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, isso porque é cada vez mais comum crianças e adolescentes se encaixem nessa faixa.

Os problemas de saúde da Obesidade Mórbida

Tida como um dos fatores de risco para diversas outras enfermidades, a obesidade mórbida tem ligação direta com doenças como a diabetes, problemas cardíacos, entre outros.

Alguns estudos apontam que as chances de um obeso mórbido morrer de forma prematura são duas vezes maiores do que o de uma pessoa que está com o peso normal. Quando falamos em morte por diabetes, e infartos, o número sobe para até 7 vezes mais.

Para explicar melhor como a obesidade mórbida pode afetar a sua saúde física, emocional e psicológica, vamos listar cada enfermidade relacionada, e explicar como a obesidade tem papel importante e agravante nessas doenças.

1- Diabetes do tipo 2:

Diabetes tipo 2 é uma doença caracterizada pela resistência a insulina e não nasce com o indivíduo. O problema é que na maioria dos casos, os obesos tendem a ter a glicemia muito alta, já que consomem alimentos pouco saudáveis, e que elevem os níveis de açúcar no sangue.

Com isso, a produção da insulina é comprometida, e a pessoa passa a produzir cada vez menos esse importante hormônio para regulagem de açúcar. A pessoa se torna então diabética, e passa a ter os níveis de açúcar muito elevados, o que pode causar problemas sérios nos rins, cegueira e até mesmo a morte.

2 – Pressão arterial:

Sabemos que o excesso de peso no obeso mórbido costuma ser o dobro do valor ideal. Isso sobrecarrega o coração, fazendo com que ele trabalhe mais do que o necessário.

O problema é que essa sobrecarga faz com que a pressão alta apareça, o que agrava ainda mais o funcionamento do coração, assim como da circulação sanguínea. Com isso, a possibilidade de acidentes vasculares e também de infarto aumentam.

3 – Depressão:

Pessoas que estão com obesidade mórbida normalmente não se reconhecem mais em seus corpos. Além disso, precisam enfrentar dificuldades básicas diariamente, como amarrar um sapato, subir uma escada ou até mesmo levantar e abaixar.

A pressão social e também a ironia e comentários maldosos são constantes na vida deste obeso, além da dificuldade de conviver em sociedade por conta do tamanho dos assentos do avião, do teatro, entre outros. Com isso, a pessoa passa a se sentir desmotivada, triste e muitas vezes apresenta quadros depressivos preocupantes.