Qual A Melhor Cirurgia Bariátrica Para Você?

Qual A Melhor Cirurgia Bariátrica Para Você?

Muita gente pensa em realizar alguma cirurgia bariátrica após diversas tentativas frustradas de emagrecer, e anos enfrentando a obesidade e todos os incômodos que ela traz consigo.

No entanto, é comum também que as pessoas cheguem aos consultórios com uma idéia fixa na cabeça. Porém, não é em todo caso que a cirugia pode ser realizada. Por isso, vamos mostrar como funciona cada tipo de cirurgia bariátrica. 

Além disso, esta cirurgia só será indicada em pessoas que tenham tentado outros tratamentos sem sucesso, que tenham um grau de obesidade pré-estabelecido, doenças associadas à obesidade, ou até um tempo de evolução constatada por uma equipe de médicos especializados.

Tipos de Cirurgia Bariátrica

Banda Gástrica Ajustável

Cirurgia bariátrica
Imagem do Tua Saúde ilustra Banda Gástrica Ajustável

O método de cirurgia bariátrica conhecida como Banda Gástrica Ajustável é responsável por um total de 5% de todos os procedimentos do tipo realizados no país.

Trata-se de nada mais do que uma espécie de dispositivo feito de silicone, que é implantado na boca do estômago. Com ela, os médicos conseguem injetar água em um reservatório que fará com que a região fique mais apertada ou mais ampliada conforme a quantidade de água seja reduzida ou retirada.

Por esta característica, trata-se de um procedimento reversível e por isso mesmo, pouco invasivo, além de ser um dos mais personalizados tipos de cirurgia bariátrica, já que é possível controlar o volume de água no reservatório.

Com o procedimento o paciente pode perder entre 20 e 30% do valor inicial de seu peso, e ter melhoras em áreas cardiovasculares, respiratórias e até um maior controle da Diabetes.

O procedimento leva apenas cerca de 30 minutos para ser realizado, mas não é indicado para pessoas compulsivas por doces, ou que tenham refluxo ou Hérnia hiatal.

Gastrectomia Vertical

Cirurgias bariátricas
Gastrectomia Vertical

Usada por pouco mais de 15% dos pacientes que procuram as cirurgias bariátricas, é a responsável por retirar mais de 70% do volume do estômago dos pacientes. Com isso, a pessoa chega a perder até 40% de seu peso total.

O tempo de duração da cirurgia é de até uma hora e é preciso que o paciente tenha ciência de que esse é um método bastante invasivo.

Como esse tipo de cirurgia bariátrica não é reversível, ela reduz os níveis de um hormônio chamado de grelina. Ele é o responsável pela absorção de cálcio, ferro, vitaminas do complexo B e também está constantemente associado à fome. Porém, com o procedimento a absorção desses nutrientes não é afetada.

Ela possui um risco maior de complicações, e caso o paciente não se adapte é possível transformar o procedimento em Derivação Bileopancreática ou Bypass.

Bypass Gástrico

cirurgia bariátrica
Cerca de 75% das pessoas que procuram a cirurgia bariátrica, realizam este tipo

Ele é o campeão de procedimentos no país: mais de 75% das pessoas que procuram pela cirurgia bariátrica realizam o Bypass. Ele é o responsável por diminuir o tamanho e capacidade do estômago para apenas 10%, o que reflete em uma perda de peso até 45% do peso inicial do paciente.

Funciona da seguinte maneira: como o estômago está reduzido, apenas uma parte dos alimentos ingeridos vão para o órgão, e o resto é desviado para o duodeno, uma porção do intestino. Com isso, é possível reduzir a produção de grelina, que diminui a fome e também aumenta os hormônios que provocam a saciedade.

Os pontos positivos da cirurgia são que o paciente consegue reduzir o peso sem sofrer com desnutrição ou com episódios de diarréia. Além disso, a Diabetes e outras doenças que podem estar associadas ao excesso de peso também sofrem rápida melhora.

A cirurgia demora em torno de uma hora e meia e pode trazer riscos como infecções, fístulas e embolia pulmonar.

Derivação Bileopancreática

Cirurgia bariátrica
Imagem da Revista Viva Saúde ilustra a Derivação Bileopancreática

Esse tipo de cirurgia bariátrica corresponde a apenas 5% dos procedimentos realizados, e é a que pode causar o maior número de complicações aos pacientes. Ela nada mais é do que uma associação de outra cirurgia, a Gastreoctomia Vertical e, por isso, conta com 85% do estômago retirado por um desvio intestinal.

Com esse procedimento, os alimentos, o suco pancreático e bile são separados, e cada um percorre um caminho diferente. Por isso, é a que possui maior vantagem, sem restringir o consumo alimentar, possibilitando ainda uma perda de peso de 45 a 50% do peso inicial do paciente.

No entanto, com esta técnica algumas pessoas podem ter deficiência de vitaminas, diarréia, flatulência e até mesmo quadros de desnutrição. Para realizar a Derivação Bileopancreática é necessário mais de 2 horas de cirurgia.

Além disso, todos os pacientes que realizam qualquer uma das cirurgias acima precisam sofrer sedação geral, ficar internado por até dois dias e permanecer em repouso por no mínimo 10. Os exercícios e até o carregamento de peso só pode acontecer depois de um mês e passar por recomendações como uma dieta líquida e a inserção gradual de alimentos sólidos.

Este Artigo Te Ajudou?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *