Se você já fez dezenas de dietas e mesmo assim não perdeu peso, saiba que entender e controlar certos hormônios pode ser a sua salvação.

Os hormônios tem diversas funções em nossos corpos, como regular a atividade celular, e até agir diretamente em importantes funções orgânicas, podendo sua concentração diminuir ou aumentar a velocidade dessas reações.

Hormônios

Para ajudar no emagrecimento, controlar 3 hormônios que revelaremos a seguir é um passo importante para lhe manter saudável, com o organismo sempre ativo e com uma perda de gordura e peso eficazes. Abaixo listamos cada um deles e explicamos quais as suas funções em todo o processo de emagrecimento.

Hormônios

1. Grelina

Quando falamos de hormônios e alimentação, a Grelina é um dos mais importantes: nada mais é do que o responsável pela fome.

Produzido no estômago, esse hormônio fica em alta concentração em nossos corpos sempre quando estamos perto das refeições (ou seja, há mais de 3 horas sem comer). Os níveis de Grelina só diminuem depois que ingerimos algum alimento.

Sua importância é tanta que a Universidade do Texas decidiu estudar um pouco mais sobre ele e acabou por descobrir que quando estamos muito estressados, os níveis desse hormônio disparam, fazendo com que a fome fique maior.

Para manter seus níveis sempre estáveis, é preciso comer a cada 3 horas e ter em sua alimentação pelos menos 40% de carboidratos e 30% de gorduras monoinsaturadas e de proteína. Além disso, um outro estudo realizado em Loughborough, na Inglaterra, revelou ainda que os níveis de Grelina ficam baixos até duas horas depois da prática de atividade física, de pelo menos 60 minutos.

2. Leptina

Quando falamos de hormônios a leptina é um dos mais lembrados por esportistas e especialistas. Ele é secretado pelo nosso tecido adiposo, ou seja, pelas células de gordura, e por isso é um dos mais importantes hormônios do corpo humano.

Sua função é dizer ao cérebro como está o nosso estoque de gordura, por isso é um dos mais estudados e também um dos hormônios que recebe a culpa por fazer com que sempre recuperemos alguns dos quilos que perdemos.

A Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, estudou um grupo de pessoas e descobriu que as que estão acima do peso e em processo de emagrecimento tem os níveis de Leptina decrescente. O problema é que quanto menor for o nível de Leptina, mais as áreas do cérebro responsáveis pela chamada “atração visual” ficam ativas, e com isso, aumenta a vontade de comer alimentos gordurosos e cheios de açúcar.

O ideal é controlar a perda de peso, que não deve ultrapassar os 2 quilos mensais. Desse modo, você consegue controlar de forma mais eficaz a ação da Leptina, que manterá níveis saudáveis no seu organismo.

3. Insulina

A Insulina é um dos hormônios que mais recebe atenção quando o assunto é emagrecimento ou excesso de peso. Isso porque é ela a responsável por manter nossos níveis de glicose normais no sangue. Produzida no pâncreas, a insulina tem como principal função bloquear a quantidade de açúcar nas células.

Quando ingerimos uma grande quantidade de alimentos ricos em açúcar, a insulina tem como papel principal “pegar” o excesso e mandar essa substância para o fígado e músculos. Dessa maneira ela é transformada em glicogênio, uma importante fonte de energia utilizada quando nosso corpo está em atividade física.

O problema é que se ingerimos muito açúcar e não gastamos energia, a insulina acaba transformando esse excesso em gordura, que dificilmente será gasta quando precisamos nos movimentar. Por isso, na hora de emagrecer e perder medidas, a insulina é um importante aliado, já que quanto mais insulina você tiver no corpo, menos chances tem de perder peso.

Para controlar os níveis desse importante hormônio é preciso ingerir alimentos que tenham um Índice Glicêmico baixo, além de apostar em exercícios que queimem gordura, como o treino HIIT, clique e saiba quais são as melhores opções, e comece agora mesmo online, da sua casa.