Saiba qual relação pode existir entre a anemia e a obesidade, quais suas causas, sintomas e tratamentos.

Anemia é o nome dado a uma deficiência no número de hemoglobinas presentes no organismo, ou na produção de hemácias. Ambas muito importantes também para nosso metabolismo.

A hemoglobina é um elemento presente no sangue, e tem como principal função transportar oxigênio do pulmão para o resto das células de nosso organismo. Já as hemácias são os glóbulos vermelhos, que tem em sua composição água, íons, glicose, enzimas e hemoglobinas.

A anemia pode ser adquirida, hereditária, crônica ou aguda, e seus tipos são classificados de acordo com o tamanho das hemácias, ou com o volume corpuscular médio.

Entenda os tipos de anemia

Relação entre anemia e obesidade

Anemia Aguda

A anemia aguda é aquela que acontece normalmente quando a pessoa passa por uma cirurgia e perde muito, sangue ou quando sofre algum tipo de acidente.

Ela é caracterizada por uma perda rápida e grande de sangue, que reduz o número de hemoglobinas, assim como a produção das hemácias no nosso sangue.

Anemia Crônica

Já a forma crônica da anemia é normalmente hereditária ou aparece por conta de uma doença base (como a anemia falciforme ou a talassemia), mas também pode ocorrer por deficiência nutricional ou de ferro, durante a gestação ou até mesmo por carência de vitamina B12 no organismo.

A anemia e a obesidade

Até pouco tempo nenhuma associação era feita entre a anemia e o excesso de peso. O que se sabia era que a obesidade era a causa de uma série de deficiências nutricionais, e que por isso poderia contribuir para o surgimento da anemia.

No entanto, uma revista da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição publicou um artigo que revela que a obesidade pode predispor um tipo de anemia, a ferropriva.

De acordo com o estudo, o aumento da atividade inflamatória que acontece no nosso tecido adiposo favorece a produção de hepcidina, um hormônio sintetizado no fígado e que desempenha uma função importante para esse nutriente, ao impedi-lo de ser absorvido pelo enterócito.

O problema é que quando a hepcidina está em altas concentrações no organismo, ele regula de forma negativa a saída de ferro, e acaba favorecendo a doença.

No entanto, a anemia na pessoa obesa também favorece para que o excesso de peso aumente, já que a capacidade aeróbica assim como a resistência de uma pessoa anêmica é menor por conta do esforço cardíaco e do desconforto que ele causa.

Sintomas de Anemia

Entre os sintomas mais comuns estão a queda de pressão e o cansaço constante, ocasionado pela redução do volume do sangue que circula em nosso corpo.

Mas para quem possui anemia crônica, é possível também que a pessoa tenha palidez cutânea e nas mucosas, além de sentir fraqueza, tontura, falta de memória, sono excessivo, respiração curta, dores musculares, e até mesmo taquicardia.

Tudo isso por conta da falta de oxigenação das células que fazem com que o coração trabalhe mais rápido para suprir todas as necessidade de nosso organismo. E é também por esse motivo que as pessoas que sofrem de anemia tendem a sentir os sintomas de forma mais intensa quando estão praticando alguma atividade física.

Tratamento da anemia

Para diagnosticar a doença é preciso que a avaliação clínica seja realizada, e a confirmação por meio de exames de sangue também seja feita. Depois disso o médico irá avaliar qual é o tipo de anemia do paciente, e realizar o tratamento de acordo.

Normalmente o tratamento é feito com medicamentos que aumentam a quantidade de ferro no organismo, sejam eles manipulados ou fármacos. Uma alimentação saudável também é indicada para auxiliar no tratamento, mas sozinha não consegue reverter o quadro de anemia que já se instalou.