Anticoncepcional engorda? Essa é uma das dúvidas que surge em boa parte das mulheres quando precisa recorrer a um método para evitar uma gravidez ou quando sofre algo tipo de problema hormonal.

Além disso, outras dúvidas surgem quando o assunto é a pílula: Existe algum anticoncepcional melhor em comparação com os outros? Injeção anticoncepcional engorda? É possível saber qual anticoncepcional não engorda?

Contraceptivos

Esses e muitos outros outros questionamentos fazem parte do universo feminino quando o assunto entra em pauta, seja em forma de pílulas, adesivos, injeções ou até mesmo implantes subdérmicos, dispositivos intrauterinos e anel vaginal.

Para tentar sanar essas dúvidas, pesquisamos tudo sobre o assunto e descobrimos o que o anticoncepcional faz no seu corpo, além de desvendar o mistério que ronda a relação entre o anticoncepcional e o emagrecimento.

Afinal, o anticoncepcional engorda mesmo?

O ginecologista e obstetra Antonio Paulo Stockler afirma que esses medicamentos não causam ganho de peso, e na maioria dos casos são vistos como vilões por conta de um outro problema: a retenção de líquidos. Essa confusão faz com que o ganho de peso provocado pelos anticoncepcionais acabem como um dos maiores mitos que cercam o uso desses remédios no país.

O Real Problema

A retenção de líquidos acontece por conta da dosagem de hormônios presentes na pílula, que podem levar suas pacientes a ficarem mais inchadas, dando a falsa sensação de aumento de peso, o que leva a mulher a achar que o anticoncepcional engorda.

Além disso, não são todos os fármacos que causam isso. Algumas mulheres usam medicamentos contraceptivos e não sofrem nenhuma alteração na balança, ou inchaço do corpo. Já outras mulheres, que fazem o uso do mesmo anticoncepcional, podem acabar sentido esses efeitos.

Com isso, além de variar de acordo com cada anticoncepcional, o organismo da mulher também ajuda muito na hora de apresentar esses efeitos colaterais.

Qual anticoncepcional engorda mais?

A facilidade em reter líquidos e “engordar” são vistas  em maior proporção em qualquer forma de anticoncepcional que possua altas doses de hormônios. Isso porque essa alta dosagem fará com que seu corpo retenha mais líquidos, lhe deixando mais inchada e com a sensação de estar engordando.

Por isso, os medicamentos que possuem baixas doses de hormônios são os mais indicados para quem quer evitar esse “probleminha”. Mas apenas o seu ginecologista pode fazer a avaliação individual, que mostrará se você pode ou não utilizar um medicamento “mais leve”.

Além disso, é preciso que o profissional de saúde saiba como seu organismo funciona, se você é fumante ou tem reclamações recorrentes sobre enxaqueca, assim como qualquer doença associada.

Usar anticoncepcional pode trazer outros riscos à saúde, sendo a retenção de líquidos a de menor gravidade.

Os diferentes tipos de anticoncepcionais e seus hormônios

O DIU, por exemplo, não possui nenhuma taxa de hormônio. Ele é apenas uma peça de plástico com fios de cobre que é inserido no útero da mulher, dentro do consultório.

Ele impede que os espermatozóides fecundem o óvulo, mas podem aumentar as cólicas e também o fluxo menstrual da paciente que o utiliza. Além disso, ele tem duração de até 5 anos, mas requer visitas frequentes ao ginecologista.

Ao lado da pílula estão as injeções hormonais. Elas podem ser mensais ou trimestrais, mas possuem altas doses de hormônios em cada aplicação, o que faz com que as chances da retenção de líquidos e de ganho de peso sejam maiores. Além disso, as injeções só podem ser usadas por no máximo 3 anos e podem causar menopausa precoce e perda óssea.

O anel vaginal é também um dos anticoncepcionais mais conhecidos no mercado. Ele possui uma carga hormonal bem menor do que a das pílulas e uma eficácia maior do que os comprimidos. Além disso, ele reduz os efeitos colaterais, como o inchaço e retenção de líquidos, e pode ser uma boa alternativa para quem quer evitar esse efeito. O único problema é que algumas mulheres sentem a presença do anel na vagina, e isso pode ser um pouco incômodo.

Concluímos então que não é exato afirmar que o anticoncepcional engorda, mas sim outros fatores como a retenção de líquidos, mas que podem ser evitados até mesmo com a ingestão de bastante água, e uma alimentação adequada.