Apnéia do sono nada mais é do que uma repetição de episódios de obstrução das chamadas vias áreas superiores. Essas obstruções ocorrem durante uma única noite de sono e costumam se repetir durante alguns dias seguidos.

Também chamada de hipopnéia obstrutiva do sono, ou a SAHOS, a apnéia do sono é uma enfermidade progressiva, incapacitante e também crônica que pode causar a morte instantânea de seu portador, além de poder causar uma série de seqüelas neurocognitivas e vasculares graves.

Apnéia do sono
A apnéia do sono causa cansaço, o ronco, sono excessivo durante todo o dia, entre outros desconfortos

Ela ocorre durante o conhecido sono 1, que é a fase na qual passamos cerca de 10% da noite e é quando nosso estado de vigília está em trânsito para nosso estado de sono. Isso acontece porque a luz está apagada e esse escurecimento faz com que a nossa sonolência comece a ser induzida com a liberação de um importante hormônio chamado de melatonina.

Entre os sintomas da enfermidade estão o cansaço, o ronco, o sono excessivo durante todo o dia e os episódios freqüentes de interrupção de respiração, que tendem a acordar o paciente e causar desconforto.

O Excesso De Peso E A Apnéia Do Sono

Alguns especialistas afirmam que qualquer fenômeno que provoque o fechamento ou estreitamento das nossas vias áreas dificulta a passagem de ar e faz com que as chances de se ter apnéia do sono seja maior, caso comum entre as pessoas que estão acima do peso.

Isso porque o aumento da gordura visceral vem sendo apontada como uma das associações com maior freqüência em pacientes com SAHOS. O aumento do índice de massa corporal pode também estar ligado ao aumento da circunferência do pescoço.

O problema é que o excesso de peso e de gordura faz com que as vias áreas superiores sofram oclusão e o paciente acabe desenvolvendo os principais sintomas da apnéia do sono.

Mas os dados ficam ainda mais preocupantes quando mostram que pessoa com excesso de peso (entre 70% e 90%) que possuem a apnéia do sono sofrem também com pressão alta e que até 35% apresentam a hipertensão essencial (que é a pressão alta que não tem causa definida).

Produção De Melatonina

Como citamos acima, é durante a fase 1 do sono que o nosso corpo começa a liberar a melatonina, um hormônio que até alguns anos atrás era associado apenas à indução do sono.

No entanto, hoje já sabemos que a melatonina está relacionada a todo o equilíbrio do nosso organismo. Com isso, os especialistas da UNIFESP já comprovaram também que a produção de melatonina ajuda o paciente a ter menos enxaqueca.

Outros estudos mostraram também que a pressão arterial tende a cair o equivalente a 15% quando estamos dormindo, o que não ocorre com quem sofre com a doença. Isso revela que as pessoas que sofrem com a hipertensão nos episódios noturnos tem mais chances de apresentar também problemas cardíacos.

A melatonina é também responsável por nos ajudar a manter o peso, já que é durante o sono que produzimos outros dois hormônios, a leptina (responsável pela saciedade), e a grelina (que aumenta a fome).

Tratamento Para Apnéia do Sono

Entre os tratamentos possíveis para a apnéia do sono está a redução do peso. Por isso, a restrição calórica é uma das medidas tomadas pelo paciente. Isso acontece porque a diminuição do peso faz também com que o percentual de gordura diminua, assim como a circunferência do pescoço.

Em alguns casos é preciso ainda utilizar uma máscara chamada de CPAC, que fica ligada a um compressor de ar e permite que exista uma pressão positiva que força o ar nas vias áreas e melhora a respiração na hora de dormir. O tratamento cirúrgico só é indicado para quem precisa retirar alguns obstáculos da passagem de ar, como distúrbios anatômicos.