Conheça a Dieta Atkins em todos os seus aspectos, entenda como ela fuciona, como surgiu, e porque é tão criticada por algumas instituições médicas…

Esta famosa dieta surgiu décadas atrás, e sua principal recomendação é a baixa ingestão de carboidratos.

A dieta já ganhou algumas “parentes” entre as dietas baixas em carboidrato, ou low-carb, que são as dietas de South Beach, Protein Power e The Zone, Duncan entre outras.

Como Surgiu A Dieta Atkins?

Robert AtkinsA Dieta Atkins surgiu ainda nos anos 60, proveniente de pesquisas realizadas por Robert Atkins, um cardiologista americano.

Robert Atkins pesquisava sobre a alimentaçao dos esquimós, que não consomem carboidratos e tem sua alimentação baseada na ingestão de proteína e gordura animal (peixes, leões marinhos, ursos polares).

Ele se surpreendeu ao constatar a alta expectativa de vida desses povos, e começou a investigar sua história e o registro de doenças coronárias no ocidente. Ele descobriu que o risco da doença entre eles surgiu apenas no final do século XIX, com a introdução do açúcar.

Para Atkins, o açúcar seria o verdadeiro culpado pela obesidade e o surgimento de doenças coronárias e vasculares.

Ele então passou a publicar seus estudos, e a sua dieta em livros.

Como Funciona?

A dieta Atkins é baseada em uma redução drástica da ingestão de carboidratos.

No início, o objetivo maior é modificar o metabolismo, fazendo com que o corpo passe a usar a gordura corporal, e não os carboidratos como energia. Nesse processo o corpo é induzido sentir menos fome.

É essencial fazer uso de multivitamínicos para obter sucesso com a dieta Atkins.

As Fases da Dieta Atkins

Fase 1 – Indução à cetose

Duração: 15 dias.

Na primeira fase, a ingestão máxima diária de carboidratos não deve ultrapassar 20 g.

Os alimentos desta fase são:

  • Proteínas animais;
  • Ovos;
  • Peixes;
  • Frutos do mar.

Esse período tem como objetivo modificar o metabolismo.

Em alguns casos é preciso se manter nesta fase por mais tempo.

Fase 2 – Perda de peso constante

A fase 2 tem o período mais longo, e são inseridos também nesta fase alimentos como:

  • Queijos amarelos;
  • Creme de leite;
  • Alguns tipos de nozes com moderação.

É recomendado ingerir uma maior quantidade de verduras, e evitar cafeína e aspartame (café, coca-cola zero). [Ler: Coca-cola Zero emagrece Mesmo?]

Fase 3 – Pré-Manutenção

Após atingir o peso desejado, a ingestão de carboidratos passa a ser de até 100 g.

Nesta fase o corpo é preparado para o período de manutenção.

Fase 4 – Manutenção

Esta é a última fase da dieta Atkins, e tem como objetivo manter o peso desejado.

A ingestão de carboidratos pode ser entre 200 e 500 g.

É recomendado também a prática de exercícios físicos.

Críticas à Dieta Atkins

A dieta Atkins passou por diversas críticas de instituições médicas e alimentares, que perduraram décadas, sempre rebatidas por Atkins, que buscava citar inúmeras pesquisas em seus livros.

Em 2003 a dieta Atkins foi testada por outros médicos, em comparação a dietas tradicionais recomendadas pelas associações médicas (altas em Carboidratos e baixas em gorduras e calorias) e a dieta se saiu melhor em desempenho não somente em relação a redução de peso, mas também em relação a redução de gordura corporal (percentagem ) e melhoras em perfis de lípides sanguíneos e glicêmicos em basicamente todos os grupos estudados.

Novos estudos têm surgido para avaliar a relação entre as dietas baixas em carboidratos, e os resultados sempre se mostram mais favoráveis em desempenho em relação a perda de peso e gordura, e melhora de perfis sanguíneos.

Outras instituições de medicina também têm criticado a dieta Atkins, por recomendar ingestão de gorduras saturadas de origem animal, e reduzir radicalmente a ingestão de carboidratos especialmente os de índice glicêmico alto.

Algumas Associações Médicas recomendam não fazer a dieta.

Referência: Wikipedia