Esta dieta da saciedade consiste em substituir as cápsulas de regime pelos alimentos, tendo assim um resultado mais eficaz e duradouro.

O componente das tais cápsulas de regime é sempre o mesmo, só mudam os nomes. Seus componentes oferecem  redução de ansiedade e inibição do apetite. Porém, é possível obter tudo isso de forma mais saudável através dos alimentos.

As cápsulas podem oferecer um efeito psicológico na maioria das vezes, sem contar que muitas não são cientificamente comprovadas. Ao ingerir apenas comprimidos, você deixa de consumir nutrientes importantes que são encontrados nas frutas, nos legumes e nas folhas.

Dicas da Dieta da Saciedade

Dieta da saciedade

1. Tenha uma Alimentação rica em Fibras e Gorduras Solúveis

Estes alimentos favorecem o controle da ansiedade e promovem a saciedade. 

Prefira fibras solúveis, presentes nas cascas das frutas, em vegetais folhosos (rúcula, alface, agrião) e nos legumes. Estes alimentos são responsáveis pela sensação de saciedade. Ao caírem no estômago, elas absorvem água e aumentam o tamanho do bolo alimentar. Essa reação emite o sinal de satisfeição ao cérebro, o que ajuda a reduzir a compulsão alimentar. O efeito é quase imediato, e rapidamente é possível sentir o estômago mais cheio.

Porém, como o papel da fibra é imediatista, ou seja, ela ajuda a balancear a alimentação, mas não oferece saciedade entre as refeições. Por isso é importante combinar a ingestão alimentos ricos em fibras com gorduras saudáveis.

2. Coma bastante Frutas e Verduras folhosas

Estes alimentos ajudam a controlar a compulsividade pela comida.

3. Outros Alimentos

Coma também alimentos ricos em gorduras boas. Elas demandam mais tempo para serem digeridas, e ao chegar ao intestino,  estimulam a produção de um hormônio gastrointestinal. Isso envia um sinal de saciedade para o cérebro. Porém, como este processo é lento, o efeito inibidor do apetite é sentido ao longo do dia, após a refeição.

Veja abaixo alguns alimentos que demandam mais tempo para serem digeridos:

Azeite, salmão, sardinha, atum, óleo de coco, semente de linhaça; abacate.

Referência: Saúde.Ig