A dieta sem glúten é uma realidade na vida de pessoas com a doença celíaca, mas ultimamente vem sendo adotada por uma série de pessoas que querem perder peso de forma rápida.

Isso porque o glúten é atualmente tratado como o verdadeiro vilão da perda de peso e da boa forma, o que faz com que muita gente elimine os alimentos ricos nessa substância de seus cardápios.

Mas será que é isso mesmo?

checklist

Além disso, é cada vez mais comum encontrarmos nos supermercados alimentos cuja embalagem avisam “não contém glúten”.

Veja ainda um vídeo de receita do iogurte grego natural, e entenda o porquê é mais interessante você mesma fabricá-lo em casa!

Este é um dos alimentos permitidos nesta dieta, e que traz ainda outros benefícios que vamos mostrar mais adiante neste post.

Iogurte com morangos

Também vamos sugerir um cardápio para quem está querendo perder peso.

Não menos importantes, são os cuidados necessários ao se optar por uma dieta como esta.

Entenda ainda neste post, também quais são as restrições, e se você deve ou não, e como cortar o glúten de sua alimentação.

E veja um vídeo com dicas de uma internauta que tem a intolerância, e explica um pouquinho como faz pra se virar sem as farinhas.

Benefícios

Muitos especialistas afirmam que a dieta livre glúten é benéfica pelo fato de aumentar a produção de hormônios que estão ligados à digestão, e também à saciedade.

Isso porque o glúten é tido como o principal vilão na diminuição da produção desses importantes hormônios.

Digestão

Algumas pesquisas revelam que o glúten permite a permeabilidade intestinal.

O glúten e a doença celíaca

Mas o problema, é que alguns pedaços dessas substância, que não são digeridos no intestino, acabam caindo na corrente sanguínea, o que causa uma reposta inflamatória do corpo, que agrava a obesidade e pode até desencadear a doença celíaca!

Por esse motivo, a dieta sem glúten propõe que a pessoa fique um tempo sem consumir a substância, o que fará com que o processo inflamatório seja revertido, e ela consiga ainda eliminar até 3 quilos em apenas alguns dias.

O que é o gluten

Grãos como o trigo, o centeio, a cevada e a aveia contém o glúten.

Que nada mais é que uma partícula capaz de dar elasticidade às massas, e que é ativada ao acrescentar-se água nestas massas.

Como saber se tenho intolerância

Geralmente, a doença celíaca, surge nos primeiros meses de vida. Mas há casos de pessoas que desenvolvem a doença depois de adultos.

Nesta doença, ocorre uma descamação do intestino, que não consegue absorver os alimentos.

sintomas de intolerancia

Note que a doença celíaca, é diferente da intolerância ao gluten. No caso apenas de intolerância os sintomas são mais leves e não ocorre a descamação do intestino.

Muitas pessoas conseguem detectar este problema apenas retirando o glúten da alimentação, e observando com o organismo vai reagir depois.

Mas é claro que o mais indicado, é sempre procurar um médico, que vai pedir exames que irão avaliar de forma mais minuciosa qual é o seu problema.

Mas em ambos os casos, o glúten deve ser removido da alimentação.

Sintomas

Estes são alguns sintomas da doença celíaca:

  • Abdomên estufado;
  • Vômitos;
  • Diarréia;
  • Perda de peso;
  • Cansaço.

Alimentos de substituição

Para isso, é preciso também saber realizar a troca alimentar, e incorporar no seu cardápio alimentos mais orgânicos, que vão melhorar e muito a qualidade de todas as calorias que você está ingerindo todos os dias.

Veja os alimentos permitidos nesta dieta, e que podem ser uma boa fonte de substituição alimentar.

Iogurte do tipo grego

Nem todos os iogurtes são permitidos neste tipo de dieta.

leite de vaca

Mas este não é o caso do iogurte grego natural. Mas atenção. Tem que ser aquele feito apenas de leite e culturas do iogurte.

É importante seguir este conselho, porque muitos dos iogurtes que compramos no supermercado, são feitos com muitos outros ingredientes, que o tornam menos natural, e mais “engordativo“, como o amido que é usado para dar a consistência mais firme.

Por isso, se você fizer a sua receita de iogurte natural, vai se beneficiar de ter um produto mais saudável em sua casa.

Benefícios

Este é um alimento rico em proteínas.

E um outro benefício dele, muito importante para quem está fazendo uma dieta que emagrece é que garante uma maior sensação de saciedade.

A sua consistência mais firme, permite com que o gosto não só fique tão melhor, como que faz com que você se sinta mais “cheio”.

Receita

Você vai aprender agora uma receita do iogurte grego natural feito em casa.

O que você vai precisar
  • 2 litros de leite;
  • 1 iogurte natural;
  • 1 coador próprio para iogurte grego ou um coador de poliéster de café;
  • 1 pote de vidro com tampa;
  • 1 bolsa térmica Ou 1 toalha e 1 saco plástico.

Observações

Precisamos fazer algumas observações muito importantes sobre estes ingredientes:

O leite de caixinha tem muitas químicas, e não dará a consistência necessária. Então, dê preferência ao leite de saquinho ou o leite da roça.

Estes são mais saudáveis, e garantem melhor a consistência desejada.

O leite precisa estar de morno para frio.

Com relação ao iogurte, pode ser tanto o natural feito em casa, quanto aquele que compra no supermercado: mas tem que ser o natural!!!

Como fazer

Receita de iogurte grego
  1. Misture o leite com o iogurte;
  2. Tampe o pote de vidro, e aqueça dentro de uma bolsa térmica. Ou, se não tiver, faça esse processo envolvendo o porte com uma toalha, e depois, envolvendo com um saco plástico.
  3. Deixe descansar assim por 10 horas.
  4. Após este período, você vai perceber que a consistência já estará mais consistente.
  5. Em seguida, vamos coar o iogurte.
  6. Coloque o coador num recipiente que irá receber o líquido do iogurte. Em seguida, despeje o iogurte neste coador.
  7. Agora, a consistência ficou ainda mais firme!

Continue vendo a nossa lista de alimentos da dieta sem gluten a seguir.

Muitas pessoas preferem consumir o iogurte grego puro mesmo.

Mas vamos dar algumas sugestões de consumo, que pode ser adoçando com mel, misturando ou batendo com alguma fruta de sua preferência.

O morango é uma ótima combinação!

Mas a seguir você vai ver uma que é melhor ainda!!!

Óleo de coco

O óleo de coco tem outro ponto interessante além do que todos já conhecemos. Já sabemos que ele é saudável, mas a novidade vem em seguida.

Ele retarda o esvaziamento do suco gástrico. Isso significa que você vai sentir menos fome, e ter a sensação de saciedade garantida por mais tempo.

E diferentemente de outros açúcares, ele não aumenta os níveis de insulina.
Além de tudo isso, ainda diminui a vontade por doces!

Podemos concluir que, combinado com o iogurte grego citado acima, o resultado é sucesso na certa.

Ovos

Os ovos já foram alvo de críticas devido ao colesterol. Mas a clara possui poquíssimo colesterol, além de ser rica em proteína.

Já a gema, não precisa ser descartada. Ela contém vitamina D, dentre outros nutrientes.

O interessante é manter um equilíbrio. Consumir menos gemas, e mais claras.

Abacate

Fonte de gorduras saudáveis, o abacate é um alimento saboroso, e super versátil. Podendo ser encaixado tanto em receitas doces como também salgadas.

Ele ainda ajuda na prevenção de câncer do colo do útero, se consumido toda semana.

Eles também contêm muitos nutrientes importantes, incluindo fibras e potássio.

Quinoa

A quinoa pode substituir alimentos proibidos na dieta em glúten, como o pão e o macarrão.

Além de claro, ser muito mais saudável do que estes.

Ela ainda possui uma lenta digestão, garantindo maior sensação de saciedade. Além de manter seus níveis de energia estáveis.

Farinha de arroz

Sempre importante lembrar, que a versão integral do arroz é sempre mais saudável.

E com sua farinha não seria diferente.

A farinha do arroz pode substituir a farinha branca comum que é proibida neste caso da dieta sem o glúten.

Pode ser utilizada em receitas de pão, bolos, e até para engrossar sopas e molhos.

Batata doce

A batata doce é muito usada neste tipo de alimentação.

A maioria dos alimentos ricos em carboidratos são cortados devido à restrição ao glúten.

E aí que alimentos fontes de carboidratos entram, como é o caso da batata doce.

Ela não contém amido, e é um alimento rico em nutrientes, mas com um baixo índice glicêmico, e por isso, muito consumido em dietas.

Nozes

As nozes são ricas em ômega 3, um tipo de gordura saudável.

Aumenta muito a sensação de saciedade, fazendo com que você se sinta cheio mais rápido se inserir este ingrediente em suas receitas, ou mesmo se você simplesmente comer como lanche.

Só não exagere na quantidade.

Peixes

Muitos carboidratos acabam sendo cortados neste tipo de dieta.

Então é importante ingerir mais alimentos que vão dar uma maior sensação de saciedade, além de proporcionarem energia e nutrientes para o corpo.

Os peixes também são ótimos aliados neste tipo de alimentação.

Cardápio da dieta sem gluten

Este é um cardápio do Minuto Saudável para uma dieta celíaca.

Para cada refeição, são dadas 4 opções, e você que escolhe aquela que é melhor para a sua rotina alimentar, ou até mesmo para o seu gosto particular.

Café da manhã

Escolha uma das opções abaixo.

1ª Opção

  • 1 copo (300 ml) de leite desnatado batido com 6 morangos;
  • 1 torrada de arroz integral prensado (à venda em lojas de produtos naturais) com requeijão light.

2ª Opção

  • Suco anti-inflamatório, feito 200 ml de água gelada, 1 colher de linhaça triturada, 1/2 papaia e 1 ameixa-preta sem caroço. Bata tudo no liquidificador;
  • 2 pães de queijo sem glúten pequenos.

3ª Opção

  • Suco antioxidante feito com 300 ml de suco de maçã e 1 folha de couve fresca (sem o talo). Bata tudo no liquidificador;
  • 5 biscoitos de polvilho (ou 1/2 cará médio cozido com 1 fio de azeite ou 1 pãozinho de inhame).

4ª Opção

  • Suco antioxidante feito com 1 fatia média de melancia, suco de 1 limão e hortelã. Bata tudo no liquidificador;
  • 1 tapioca. Faça usando 3 colheres de farinha de tapioca, e como recheio use 1 fatia fina de mussarela light.

Lanche da manhã

Escolha uma das opções abaixo.

1ª Opção

Salada de frutas feita com 1maçã, 1 banana, 1 fatia média de melão, 1 rodela média de abacaxi).

2ª Opção

  • 2 cookies integrais sem glúten.

3ª Opção

  • Mix de frutas secas (2 damascos + 4 amêndoas).

4ª Opção

  • 1 pote de iogurte de fruta light.

Almoço

Escolhe uma das opções abaixo.

1ª Opção

  • Salada de folhas verdes à vontade.

Sugestão: 3 colheres de beterraba crua ralada e 3 colheres de cenoura crua ralada, temperadas com um fio de azeite, pouco sal, limão;

  • 2 colheres de sopa de arroz integral, ou quinua em grão cozida;
  • 1 concha média de lentilha;
  • 1 filé médio de carne magra (frango, alcatra, patinho, filé mignon) grelhado.

2ª Opção

  • Salada de folhas verdes e tomate à vontade. Sugestão: 3 colheres de grão-de-bico temperados com um fio de azeite, pouco sal e limão;
  • 1 abobrinha inteira recheada com carne moída e assada com molho de tomate.

3ª Opção

  • 2 colheres de vagem, cenoura e couve-flor no vapor;
  • 1 pegador de macarrão de arroz com molho de tomate;
  • 3 almôndegas (ou 1 hambúrguer pequeno grelhado).

4ª Opção

  • Salada de folhas frescas (alface, agrião, rúcula) à vontade temperados com 2 azeitonas, 1 ovo cozido temperados com 1 fio de azeite, pouco sal e limão;
  • 3 colheres de sopa de arroz integral;
  • 1 filé médio de peixe grelhado ou assado.

Lanche da tarde

Escolhe uma das opções abaixo.

1ª Opção

  • 1 copo ou 200 ml de suco de uva integral (sem açúcar);
  • 2 castanhas-do-pará.

2 ª Opção

  • 1 copo de iogurte natural desnatado com 3 morangos picados (pode ser o iogurte ensinado no post).

3ª Opção

  • 1 maçã assada com casca e polvilhada com canela;

4ª Opção

  • 1 fatia fina de bolo de cenoura sem glúten.

Jantar

Escolhe uma das opções abaixo.

1ª Opção

  • Salada de folhas verdes, pepino e tomate à vontade e 2 azeitonas temperados com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão;
  • 1 filé médio de peixe assado ou grelhado com ervas (alecrim, cebolinha, salsinha).

2ª Opção

  • 1 prato fundo de sopa de vegetais ou de abóbora com 1 filé médio de frango cozido desfiado.

3ª Opção

  • Salada de folhas verdes e brócolis no vapor à vontade temperados com 1 fio de azeite, pouco sal e limão;
  • 2 colheres de sopa de purê de cenoura com mandioquinha;
  • 2 fatias (100 g) de ricota (ou tofu) grelhada com shoyu e 1 fio de azeite.

4ª Opção

  • Salada de folhas verdes à vontade temperadas com um fio de azeite, pouco sal e limão;
  • 1 batata-doce cozida;
  • 1 hambúrguer médio de frango (ou de soja).

Ceia

Escolhe uma das opções abaixo.

1ª Opção

  • 2 castanhas-do-pará (ou 4 amêndoas).

2ª Opção

  • 2 colheres de sopa de abacate com adoçante (opcional).

3ª Opção

  • 1 fatia de queijo branco magro.

4ª Opção

  • 1 torrada de arroz integral prensado com 1 colher de chá de requeijão light.

Dicas

Este vídeo foi feito por uma internauta que tem a Síndrome do Intestino Irritável, e por isso não pode comer alimentos com gluten.

Ela dá algumas dicas básicas que ajudam bastante na “sobrevivência” sem o glúten. Afinal, a grande maioria de refeições rápidas e fáceis que encontramos tanto para comprar no mercado, quanto para comer fora, contém glúten.

Então seguir algumas diquinhas básicas podem ser de grande ajuda para quem não pode ingerir estas farinhas.

1ª Dica

Sempre deixar uma refeição, ou um lanchinho pronto.

Ela cita alimentos como a carne, batata doce, ovo cozido, pão sem glúten, bolos sem glúten…

2ª Dica

A segunda dica é aprender receitas sem gluten e isso com certeza vai ajudar bastante.

As receitas mais gostosas, de bolos, lanches e etc, geralmente contém a partícula que neste caso deve ser evitada.

Então aprender receitas, principalmente aquelas mais básicas, vai ser um grande aliado pra conseguir ainda assim comer sobremesas e refeições apetitosas, sem o uso da farinha branca.

3ª Dica

Quando for passar muito tempo fora de casa, é interessante levar algum lanche, ou até mesmo uma marmita.

Porque como já falamos, a oferta de alimentos com glúten sempre será gigantesca, enquanto que as opções sem glúten são mais escassas.

4ª Dica

Usar a tapioca no dia a dia, é uma opção muito boa para quem tem a intolerância ou a doença celíaca.

Além de gluten free ela é bem saudável, e possui pouquíssimas calorias.

Também sendo uma opção de lanche fácil e prático de se fazer, com variadas opções de recheios tanto salgados como doces.

Cuidados necessários

Alguns especialistas fazem uma ressalva quando o assunto é a dieta sem glúten…

De acordo com eles, é preciso que a dieta seja seguida por no máximo 15 dias.

Isso porque pessoas que não tem a doença celíaca necessitam da substância no organismo, principalmente no processo de digestão e no corte prolongado desses alimentos, que pode acabar fazendo mal ao organismo.

Os alimentos que contém glúten também são importantes fontes de energia, e por isso não podem ficar muito tempo fora dos nossos cardápios.

Alguns nutricionistas afirmam que o corte da substância deve ser feita apenas com prescrição médica, e conhecimento clínico do paciente.

Assim como defendem que a substância deve ser reinserida aos poucos na dieta, mas em pequenas quantidades, até que o corpo se acostume, e não seja assim sobrecarregado.

Por isso, antes de entrar em uma dieta tão restritiva, e talvez até difícil, o importante é que você tenha em mente que a reeducação alimentar é o melhor caminho para quem quer perder peso.

E que a prática diária de atividade física deve estar aliada.

Espero que tenha gostado do post e de todas as dicas 🙂