A endorfina é um neuro-hormônio liberado pelo nosso corpo quando praticamos determinadas atividades físicas. Ele é responsável pela sensação de bem estar, e muito procurado por quem é adepto dos exercícios.

E é exatamente por isso que pessoas adeptas da atividade física diária geralmente se sentem de mau humor, ansiosas e até mesmo irritadiças quando não conseguem realizar sua prática física diária, dizendo que estão “viciadas” em treinos, ou na endorfina…

O melhor disso é que o neuro hormônio é totalmente natural, ou seja, produzido pelo nosso corpo toda vez em que começamos a nos exercitar, e que tem essa liberação prolongada por algum tempo pouco depois da atividade.

O poder da endorfina

Enforfina, hormônio do bem estar

O hormônio é o responsável por regular nossas emoções, fazendo-nos sentir mais felizes, além de ser o responsável por diminuir a percepção de dor e gerar prazer e bem estar, fazendo assim com que fiquemos mais relaxados e dispostos.

E isso acontece por conta de sua classificação. A endorfina é um analgésico natural, o que faz com que a tensão de nossos músculos seja “dissolvida”, a ansiedade amenizada e indicada, até mesmo para alguns casos leves de depressão.

No entanto, se engana quem pensa que a endorfina é liberada em qualquer exercício físico. Por ser um hormônio neural é preciso que nos submetamos a algumas características específicas para que sua produção seja liberada.

Exercícios que liberam endorfina

Para que a endorfina seja liberada pelo cérebro, é preciso que a atividade física tenha uma longa duração, de ao menos 40 minutos, que pode ser uma corrida ou caminhada, ou bicicleta ergométrica. Isso porque é necessário que a liberação de endorfina não passe apenas pelo cérebro, mas que também atinja nosso sistema nervoso central, e assim possa nos dar a sensação prazerosa de realização.

No entanto, a literatura médica não é unânime quanto a essa afirmação, e alguns especialistas afirmam que é possível desfrutar da sensação da liberação de endorfina também com exercícios mais rápidos, desde que eles sejam realizados de forma mais intensa, como acontece, por exemplo, com o HIIT (clique e veja treinos para fazer em casa).

Isso acontece porque ao atingir um nível de produção perceptível ao nosso organismo, a endorfina é liberada e alcança nossos músculos. E essa sensação pode ser sentida até duas horas depois que finalizamos a atividade física. Há ainda cientistas que afirmam que as dosagens de endorfina podem ser encontradas no organismo até 3 dias depois.

Como é produzida a endorfina

Alguns estudos revelam que a endorfina começa a ser produzida de forma lenta assim que iniciamos a atividade. A responsável por isso é uma glândula chamada hipófise. Ela então envia a endorfina para nosso sangue junto com dois outros importantes hormônios: o ACTH (que estimula a produção do cortisol e da adrenalina), e também pelo GH, o conhecido hormônio do crescimento.

Muitos estudos são realizados na área para entender de forma mais exata como a endorfina age e é produzida pelo nosso corpo, mas as diferentes conclusões ainda fazem com que muitos especialistas não se sintam satisfeitos com as respostas, fazendo assim com que os estudos em torno do hormônio sejam cada vez maiores.

Outros benefícios da liberação da endorfina

A literatura médica lista ainda uma série de benefícios proporcionados pela endorfina em nosso corpo. Entre eles está o desenvolvimento da memória, o aumento da resistência mental e física, o fortalecimento do sistema imunológico, o aumento da concentração, o efeito antienvelhecimento, a baixa nos níveis de colesterol ruim, a regulamentação do intestino, o controle da pressão sanguínea, a melhora do sono, a redução dos riscos de doenças cardiovasculares e a melhora no fortalecimento muscular.

Veja também: Ração Humana ajuda a liberar endorfina.

No entanto, é preciso que se tenha em mente que nem todo mundo consegue sentir os benefícios da endorfina nas primeiras vezes que pratica a atividade física. Mas é preciso persistir e se exercitar por pelo menos uma semana completa antes de colher os benefícios da liberação desse importante neuro-hormônio.