Glúten – Um grupo brasileiro de pesquisa publicou um relatório, em janeiro de 2013, no Journal of Nutritional Biochemistry. O estudo foi criado para analisar as diferenças de marcadores genéticos e bioquímicos específicos, entre ratos alimentados com glúten e outros sem glúten, porque não haviam dados científicos confirmando a mecânica de como o glúten poderia ou não afetar a obesidade.

O  objetivo de sua pesquisa era saber como o glúten leva a problemas de saúde. A equipe de investigação escolheu marcadores biológicos que pudessem indicar o aparecimento da obesidade e a síndrome metabólica, precursores de diabetes, e problemas cardíacos.

Ambos os grupos de ratos foram alimentados com dietas ricas em gordura. Porém, a dieta de um dos grupos foi zero glúten e, a do outro grupo, com 4,5% de glúten. Mesmo sem traçar seus marcadores pré-determinados, os ratos que tiveram a dieta zero glúten apresentaram perda de peso sem qualquer traço de excreção de lipídios (gordura).

glúten engordaGlúten – Análise deste Estudo

Foi considerado que o ganho de peso associado ao consumo de trigo pouco tem a ver com o conteúdo calórico por si só, mas sim, com as proteínas do glúten.

O fato de que ambos os grupos de ratos foram alimentados com dietas ricas em gordura, e que aqueles que tiveram o glúten inserido a dieta perderam peso sem qualquer traço de excreção de lipídios (gordura), desmistifica a idéia de que uma dieta para emagrecer precisa ser livre de gordura.

O estudioso Sayer Ji recomenda que aqueles que estão acima do peso, pré-diabéticos, enfrentando a síndrome metabólica, ou que sofrem de problemas no intestino, devem evitar grãos de glúten, especialmente o trigo.

Glúten nos Dias de Hoje

Hoje em dia, o trigo não é mais o mesmo.

A agricultura tem utilizado recursos de processos híbridos para adaptar-se a panificação industrial.

Isso resultou em um aumento 10 vezes maior de glúten no trigo, que antes era de 5%, e agora chega a 50%.

A preocupação da Indústria de alimentos processados, com relação a eficiência da produção, e da percepção das exigências dos consumidores, tem-se centrado nas consequências negativas que o glúten pode acarretar na saúde.

Diferentes métodos de alta velocidade de cozimento foram desenvolvidos ao longo do tempo. Assim, pães podem ser cozidos, resfriados e embalados dentro de poucas horas. Esta alta velocidade do cozimento, juntamente com o branqueamento artificial da farinha, e a adição de corretivos com aditivos tóxicos, acarretam em alimentos baratos, porém não saudáveis, gerando lucros para poucos.

Fonte: Natural News