O GH, ou hormônio do crescimento é muito utilizado por atletas da musculação que querem aumentar o tamanho de seus músculos. Mas o que muita gente não sabe é que ele também pode ser um aliado para quem quer emagrecer.

O Gowth Hormone (GH) é produzido pelo nosso corpo na glândula hipófise, que fica na parte inferior de nosso cérebro, e que é responsável pela liberação de uma série de hormônios importantes para o pleno funcionamento de nosso organismo.

GH

Durante a adolescência os jovens devem ter a produção desse hormônio regulamentada, caso contrário sofrem com problemas de crescimento e até mesmo com uma doença conhecida como Nanismo (na qual a principal característica é a deficiência na produção desse hormônio).

Redução do GH

Os atletas vêem o hormônio do crescimento como uma verdadeira fórmula para a construção muscular e para emagrecer. E o melhor é que ambos os sexos podem se beneficiar do GH.

Algumas pesquisas recentes mostraram que depois dos 30 anos, os níveis do hormônio do crescimento começam a diminuir em nosso corpo, em média 25% por década. Isso faz com que a suplementação do GH se torne uma boa alternativa.

O que acontece é que sua deficiência pode fazer com que a massa muscular também diminua, e como sabemos, quanto menos massa muscular no corpo, maior é a quantidade de gordura, já que o metabolismo passa a desacelerar. E é exatamente nesse ponto que o hormônio do crescimento permite que ocorra a perda de peso.

O hormônio do crescimento e a perda de peso

O GH promove um aceleramento do metabolismo do nosso tecido adiposo, permitindo que essas células se tornem importantes fontes de energia. Com isso, nosso corpo passa a queimar mais energia, e consequentemente mais gordura, o que faz com que os quilos na balança comecem a diminuir.

Este hormônio também promove um processo fundamental para o nosso organismo, a síntese de proteínas, que permite que a construção dos músculos e também a recuperação deles depois de uma atividade física sejam mais eficientes.

Ele também melhora a qualidade do sono, fazendo com que o paciente durma de forma mais consistente, principalmente quando falamos em sono profundo. E isso faz com que a produção de hormônios se regularize e o metabolismo funcione melhor.

Além disso, alguns especialistas afirmam que o hormônio do crescimento é responsável pela estimulação da renovação dos tecidos e também o responsável pela densidade óssea.

Tratamentos com GH

Para quem usa a suplementação do GH o tratamento é feito por orientação médica e por meio de injeções do hormônio aplicadas todos os dias. Essas injeções devem ser ministradas durante a noite, logo antes do repouso, em regiões que possuem gordura (como nádegas, braços, abdômen e coxas) e de forma subcutânea.

Esse tipo de tratamento é bem aceito pelo organismo, mas algumas vezes podem causar alguns efeitos colaterais como a hipertensão benigna intracraniana, que tem como principais sintomas:

  • Vômitos;
  • Agitação;
  • Mudanças no modo de andar;
  • Alterações visuais.
  • Há ainda a possibilidade de formigamentos, dores nos músculos e articulações e inchaço.

Como aumentar a produção do GH

Hormônio do crescimento
É possível consumir alguns suplementos que alteram a produção do GH.

Para quem não quer usar o tratamento de injeções é possível consumir alguns suplementos que alteram a produção do GH, são os chamados precursores. Entre eles estão os compostos com arginina, glutamina, OKG e glicina.

Mas é preciso lembrar que esses suplementos só podem ser usados com a recomendação de um médico especialista, que comprovará a necessidade do uso suplementar, e se certificará de que nenhum problema ocorra.

Contraindicações do Hormônio do Crescimento

Não podem usar o GH as pessoas que possuem tumores malignos ou tumores benignos intracranianos, assim como diabéticos ou pacientes que apresentaram complicações depois de cirurgia abdominal, cardíaca, trauma acidental múltiplo ou insuficiência respiratória (aguda).