A insuficiência cardíaca é uma doença na qual a capacidade do coração de comportar todas as necessidades do organismo fica comprometida. Isso faz com que o bombeamento do sangue seja afetado e a pessoa sinta cansaço frequente.

De acordo com a OMS, a insuficiência cardíaca deve ser tratada como um problema de saúde pública. Só no Brasil, o Sistema Único de Saúde revelou que essa enfermidade já internou 300 mil pessoas em apenas um ano, a principal causa das internações do SUS.

Nos Estados Unidos o número é duas vezes maior: são mais de 600 mil casos por ano, e os gastos com essa enfermidade já ultrapassa os 40 bilhões de dólares.

Quem sofre com a doença

Como prevenir insuficiência cardíacaEssa doença atinge de forma mais frequente os idosos com mais de 65 anos, mas pode ser encontrada em pessoas de todas as idades. A insuficiência cardíaca está associada a outras doenças como:

  • Doenças automimunes,
  • Hipertensão,
  • Disfunções cardíacas como o infarto,
  • Doenças metabólicas e infecciosas.

E essas enfermidades são muito comuns em pessoas que estão acima do peso.

Nos pacientes mais jovens, a insuficiência cardíaca costuma aparecer logo depois de um quadro viral, já que os ventrículos do coração se dilatam, fazendo com que o problema evolua de forma mais rápida.

Fatores de risco da insuficiência cardíaca

Pessoas com obesidade, anemia, que fazem uso abusivo de bebidas alcoólicas ou drogas, que sofram de diabetes ou fatores congênitos são os que tem maiores chances de sofrer com a insuficiência cardíaca, assim como pessoas que possuem doença arterial coronariana, reumáticas ou miocardiopatias.

Quem sofre com a insuficiência cardíaca sente um forte cansaço, principalmente depois de algum esforço, além de inchaços nas pernas, palpitações, dilatação do coração, aumento do volume do abdômen, palidez e costumam suar frio, além de sentir muita dificuldade em dormir, já que sofre com falta de ar, e é preciso deixar a cabeça mais alta para ter conforto e descansar.

Para se obter o diagnóstico é preciso realizar exames de sangue e também exames de imagem, como Doppler, cintilografia, ecocardiograma, além de uma avaliação clínica de um cardiologista.

Tratamentos para a insuficiência cardíaca

O paciente diagnosticado com insuficiência cardíaca recebe medicamentos conhecidos como betabloqueadores, que vão reduzir a descarga de adrenalina no coração do paciente, diminuindo a frequência com a qual o órgão realiza suas contrações.

Pessoas com outras doenças cardíacas associadas podem ter que se submeter a algum procedimento cirúrgico como a substituição de válvulas, correção de válvulas e revascularização.

Já o marca-passo biventricular também pode ser usados no tratamento. Ele foi desenvolvido há pouco tempo para otimizar o modo como o coração funciona, como por exemplo no relaxamento dos ventrículos.

Outro avanço tecnológico são os chamados ventrículos artificiais, que ajudam na assistência circulatória de pessoas que sofram de insuficiência cardíaca mais grave.

Há também quem precise de um transplante cardíaco, indicado já nos estágios avançados da doença.

Como prevenir a insuficiência cardíaca

Por ser uma doença grave e que pode levar à morte, é preciso que as pessoas aprendam a prevenir a enfermidade. Para isso, tenha uma alimentação equilibrada e pobre em sal e gorduras.

Realizar uma atividade física de forma regular também é um dos meios para prevenir a insuficiência cardíaca, assim como controlar o peso, o colesterol e a pressão arterial.

Se você tem casos de doenças cardíacas na família, o ideal é consultar um médico especialista e realizar um check up com frequência. Essa é uma maneira que você tem de evitar que a doença apareça já na forma mais grave e acometa sua saúde de forma mais agressiva.

Pessoas que estão acima do peso devem procurar um médico antes de iniciar uma atividade física, e manter um acompanhamento nutricional para reduzir o peso, e assim os riscos de sofrer com esta doença do coração.