Nossa dieta ocidental é uma delícia, mas não é considerada muito boa ao longo prazo.

Estudos e pesquisas já demonstraram seus malefícios, e até mesmo sua contribuição em certas doenças como o diabetes tipo 2.

A dieta ocidental nada mais é do que a alimentação popular nos países do mundo Ocidental. Ela é rica em alimentos industrializados, carne vermelha, laticínios gordurosos e doces, alimentos estes não muito saudáveis.

Veja abaixo alguns males que a dieta ocidental oferece, e algumas dicas de alterações que você pode fazer, e passar a se alimentar de forma mais saudável.

Dieta Ocidental Acelera o Envelhecimento

dieta-ocidentalUm estudo incluindo 3.800 homens e 1.600 mulheres na Grã-Bretanha, com uma média de idade de 51 anos, acompanhou estas pessoas entre os anos de 1985 a 2009, para avaliar o impacto da alimentação ocidental no envelhecimento.

Ao final, a conclusão foi que 4% dos participantes tiveram um envelhecimento ideal, que nada mais é do que aquele livre de doenças crônicas e de alto desempenho físico, mental e cognitivo; 12,7% dos participantes tiveram evento cardiovascular não fatal; 2,8% dos participantes tiveram morte associada à doença cardiovascular; 7,3% deles faleceram por outras causas e 73,2% tiveram envelhecimento normal.

Aqueles que se alimentavam da dieta ocidental, ou seja, muitos alimentos fritos, carne vermelha e processada, doces, cereais refinados, produtos ricos em gordura, e ainda os fast foods, eram menos propensos ao envelhecimento ideal.

Melhorar a alimentação, e evitar os alimentos populares da dieta ocidental já citados, pode melhorar consideravelmente a possibilidade de alcançar maiores idades com menores riscos de doenças crônicas, e com melhor qualidade de vida e funcionalidade.

Dieta Ocidental Faz Mal ao Coração

Uma alimentação rica em alimentos com gordutas saturadas, como o leite, manteiga, queijo, sorvete, carnes, enfim, alimentos populares da dieta ocidental, elevam os riscos de infartos.

Uma dieta que restrinja alimentos ricos em gorduras saturadas, protege o revestimento interno dos vasos cardíacos (endotélio), que fabrica o óxido nítrico capaz de dilatar e proteger estas artérias.

O infarto entre os indíviduos de 40 a 90 anos, está ligado a genética e os hábitos alimentares. O stress é um fator capaz de acelerar o processo de depósito de gordura nas paredes das artérias.

Dieta Ocidental Favorece Diabetes Tipo 2

Uma pesquisa da Universidade de Harvard (EUA) e do Instituto Nacional de Saúde Pública e Ambiente da Holanda, verificou que a dieta ocidental estava associada a um aumento de 59% do risco de homens desenvolverem diabetes do tipo 2, independentemente da obesidade e de outros fatores.

Entre os anos de 1986 e 1998, foram observados os hábitos alimentares de 42,5 mil homens, e os novos diagnósticos de diabetes tipo 2 que surgiram entre eles. Foi concluído que aqueles que consumiram uma maior quantidade de alimentos saudáveis, como os grãos integrais, frutas frescas, legumes, vegetais, peixes e frango, estiveram 16% menos propensos a receber diagnóstico de diabetes do tipo 2 do que aqueles que ingeriam menores quantidades destes alimentos mais saudáveis.

Dicas para Melhorar a Alimentação

Veja abaixo algumas dicas para melhorar a sua alimentação, e evitar ao máximo os malefícios que a dieta ocidental pode oferecer ao longo prazo.

  • Preferir alimentos como vegetais, legumes, raízes, massas sem gordura, lentilhas e nozes, ao invés das carnes e laticínios, ajudará a proteger o coração, e evitar ou reverter as doenças cardíacas;
  • Evitar os alimentos industrializados, a carne vermelha, os laticínios gordurosos, os doces, e o fast food;
  • Procurar seguir alguns costumes da dieta oriental, e comer mais peixes, como o salmão, que contém grandes quantidades de ômega 3, pepino, gengibre e gergelim;
  • Substituir os laticínios pelo queijo e leite de soja;
  • A carne vermelha, os óleos saturados, o creme de leite e o pão branco estão entre os alimentos que mais precipitam o envelhecimento. Busque substituir estes alimentos por outros mais saudáveis.