Quando o assunto são os transtornos alimentares, é comum lembrar de algumas patologias como a bulimia e a anorexia, mas a verdade é há mais doenças que se encaixam nessa definição.

Entre as doenças mais conhecidas entre os transtornos alimentares está a obesidade, que atinge mais de 17,5% dos brasileiros, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Além dela, a desnutrição, bulimia, anorexia, ortorexia, e vigorexia também são transtornos alimentares sérios.

O que são transtornos alimentares?

transtornos-alimentares

As doenças que recebem o nome de transtorno alimentar são as que se caracterizam pelas perturbações relacionadas ao comportamento alimentar da pessoa. Com estes transtornos, o paciente poder começar a perder peso de forma extrema ou o contrário.

Boa parte das pessoas que passam por transtornos alimentares tem em comum a preocupação excessiva com o peso ou a falta de controle na hora de realizar a ingestão calórica, que pode ou não vir acompanhada de distorção do corpo e também da compulsão, seja pela comida ou pela atividade física.

Alguns especialistas afirmam que os transtornos alimentares estão diretamente associados a algum aspecto sócio-cultural, o que faz com que sua incidência seja maior ou menor em determinadas culturas.

Tipos de transtornos alimentares

Bulimia

Esse transtorno se caracteriza pela compulsão alimentar em um determinado período, que nada mais é do que a alta ingestão de uma quantidade excessiva de alimentos em pouco tempo, que acaba sempre com métodos que “compensem” essa ingestão para evitar assim o ganho de peso, como a indução ao vômito, uso de laxantes e diuréticos, ou o excesso de atividades físicas.

As pessoas bulímicas tendem a esconder os episódios de ingestão alimentar e também de “compensação inadequada” de amigos e familiares, o que pode acabar dificultando seu tratamento.

Anorexia

Na anorexia, o paciente se priva das refeições sempre em busca da perda de peso, já que tem distorção da própria imagem corporal, e acredita que o peso mínimo para sua idade e altura não é o ideal para ela, e se vê mais gorda do que realmente é ao espelho.

Os pacientes acometidos por esse transtorno cortam primeiro os alimentos mais calóricos, mas com o tempo, a restrição alimentar é ainda maior.

Vigorexia

Essa patologia não é classificada como transtorno alimentar por todos os médicos, e se caracteriza pela obsessão compulsiva para ganhar músculos. Para que isso aconteça, a pessoa realiza exercícios de forma indiscriminada e usa anabolizantes e suplementos de forma exagerada.

Ortorexia

Esse transtorno alimentar tem como principal característica a obsessão em comer de forma saudável. A pessoa passa a ter uma preocupação excessiva com a quantidade e qualidade dos alimentos que ingere.

Além disso, é comum que essas pessoas limitem e excluam alguns grupos alimentares de seu cardápio como os carboidratos, gorduras, entre outros.

Transtorno Alimentar Noturno

Como o próprio nome revela esse transtorno ocorre durante a madrugada, quando a pessoa ingere alimentos altamente calóricos.

É normal também que essas pessoas façam dieta durante o dia e não entendam porque não perdem peso, já que não se lembram de terem ingerido tantas calorias quando acordam.

Como tratar os transtornos alimentares

Como os transtornos alimentares são variados, é preciso que cada tratamento seja feito de acordo com o diagnóstico. No entanto, o objetivo de todos os tratamentos para essas patologias está em fazer com que o paciente retome o equilíbrio clínico, restabeleça seu peso normal de acordo com seu IMC e idade, e trate a raíz do problema.

Em alguns casos é preciso fazer a ingestão medicamentos, assim como a realização de um tratamento com uma equipe multiprofissional: psicólogo, endocrinologista, nutricionista e psiquiatra.

O acompanhamento psicoterápico é importante para todos esses transtornos alimentares, já que permite que o paciente entenda sua patologia e trate as relações sociais e familiares dessa pessoa, além de recuperarem sua autoestima e ajudarem a eliminar a distorção de sua própria imagem.